sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Ministro Ayres Britto suspende eficácia de lei eleitoral contra programas humorísticos

A lei eleitoral proibe que, durante a campanha política, rádios e televisões apresentem programas humorísticos envolvendo políticos. A Associação Brasileira de Rádio e Televisão se insurgiu contra essa parte da lei. Em despacho liminar, o Ministro Ayres Britto suspendeu essa forma de censura prévia com a seguinte decisão:

Ante o exposto, defiro parcialmente a liminar, ad referendum do Plenário deste Supremo Tribunal Federal, para suspender a eficácia do inciso II do art. 45 da Lei 9.504/97 e conferir ao inciso III do mesmo dispositivo a seguinte interpretação conforme à Constituição: considera-se conduta vedada, aferida a posteriori pelo Poder Judiciário, a veiculação, por emissora de rádio e televisão, de crítica ou matéria jornalísticas que venham a descambar para a propaganda política, passando, nitidamente, a favorecer uma das partes na disputa eleitoral, de modo a desequilibrar o “princípio da paridade de armas.

A partir dessa decisão os humoristas poderão voltar a fazer troça do políticos sem submeterem-se à censura prévia. Veja a decisão do Ministro Ayres Britto clicando aqui.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Concurso da Câmara: esclarecido conteúdo da prova escrita de Auxiliar Administrativo

A empresa Prima Face publicou edital esclarecendo qual conteúdo cairá na prova escrita de Auxiliar Administrativo:

DO ITEM 4 – DAS PROVAS:

• Altera-se o conteúdo do texto.
4.2 - Das provas objetivas de múltipla escolha e subjetivas (questões discursivas e redação) – Leia-se:
4.2.2. As provas subjetivas serão compostas de uma redação e 5 (cinco) questões discursivas que deverão ser respondidas num máximo de 10 (dez) linhas cada e versarão sobre o conteúdo dos conhecimentos específicos de cada cargo, exceto para o cargo de AUXILIAR ADMINISTRATIVO, que versará sobre o Conteúdo de Legislação. A redação valerá um máximo de 25 (vinte e cinco) pontos e cada questão discursiva valerá um máximo de 5 (cinco) pontos, sendo considerado aprovado o candidato que alcançar o mínimo de 60% em cada uma das provas subjetivas (questões discursivas e redação). A correção das provas subjetivas (redação) seguirá o seguinte espelho para pontuação e levará em conta e pontuará da seguinte forma:

O edital poderá ser visto clicando aqui.

"Vote em Tiririca, pior que tá, não fica"

A entrevista abaixo foi publicada na Folha do dia 24/8/2010(Clique aqui para ver a reportagem original)

Francisco Everaldo Oliveira Silva, o palhaço Tiririca, 45, provoca risos e indignação desde que a campanha eleitoral começou na TV.

Com o slogan "Vote Tiririca, pior que tá, não fica", ele vai às urnas para tentar uma vaga como deputado federal pelo Estado de São Paulo.
É a grande aposta do PR no pleito, tanto que ganhou a legenda de mais fácil memorização: 2222. 


Folha - Por que você decidiu se candidatar?
Tiririca - Eu recebi o convite há um ano. Conversei com minha mãe, ela me aconselhou a entrar porque daria pra ajudar as pessoas mais necessitadas. Eu tô entrando de cabeça.
De quem veio o convite?
Do PR.
Como foi?
Por eu ser um cara popular, eles acreditaram muito, como eu também acredito, que tá certo, eu vou ser eleito.
Sabe o que o PR propõe, como se situa na política?
Cara, com sinceridade, ainda não me liguei nisso aí, não. O meu foco é nessa coisa da candidatura, e de correr atrás. E caso vindo a ser eleito, aí a gente vai ver.
Quais são as suas principais propostas?
Como eu sou cara que vem de baixo, e graças a Deus consegui espaço, eu tô trabalhando pelos nordestinos, pelas crianças e pelos desfavorecidos.
Mas tem algum projeto concreto que você queira levar para a Câmara?
De cabeça, assim, não dá pra falar. Mas como tem uma equipe trabalhando por trás, a gente tem os projetos que tão elaborados, tá tudo beleza. Eu quero ajudar muito o lance dos nordestinos.
O que você poderia fazer pelos nordestinos?
Acabar com a discriminação, que é muito grande. Eu sei que o lance da constituição civil, lei trabalhista... A gente tem uma porrada de coisa que... de cabeça assim é complicado pra te falar. Mas tá tudo no papel, e tá beleza. Tenho certeza de que vai dar certo.
Quem financia a sua campanha?
Então... o partido entrou com essa ajuda aí... e eu achei legal.
Você tem ideia de quanto custa a campanha?
Cara, não tá sendo barata.
Mas você não tem ideia?
Não tenho ideia, não.
Na propaganda eleitoral você diz que não sabe o que faz um deputado. É verdade ou é piada?
Como é o Tiririca, é uma piada, né, cara? 'Também não sei, mas vote em mim que eu vou dizer'. Tipo assim. Eu fiz mais na piada, mais no coisa... porque é esse lance mesmo do Tiririca.
Mas o Francisco sabe o que faz um deputado?
Com certeza, bicho. Entrei nessa, estudei para esse lance, conversei muito com a minha mãe. Eu sei que elabora as leis e faz vários projetos acontecer, né?
O que você conhece sobre a atividade de deputado?
Pra te falar a verdade, não conheço nada. Mas tando lá vou passar a conhecer.
Até agora você não sabe nada sobre a Câmara?
Não, nada.
Quem são os seus assessores?
Nós estamos com, com, com.... a Daniele.... Daniela. Ela faz parte da assessoria, junto com.... Maionese, né? Carla... É uma equipe grande pra caramba.
Mas quem te assessora na parte legislativa?
É pessoal do Manieri.
Quem é o Manieri?
É... A, a, a.... a Dani é que pode te explicar direitinho. Ela que trabalha com ele. Pode te explicar o que é.
Por que seu slogan é 'pior que tá, não fica?
Eu acho que pior que tá, não vai ficar. Não tem condições. Vamos ver se, com os artistas entrando, vai dar uma mudança. Se Deus quiser, pra melhor.
Esse slogan é um deboche, uma piada?
Não. É a realidade. Pior do que tá não fica.
Você pretende se vestir de Tiririca na Câmara?
Não, de maneira alguma.
Quem é o seu espelho na política?
Pra te falar a verdade, não tenho. Respeito muito o Lula pelo que ele fez pelo nosso país. Ele pegou o país arrasado e melhorou pra caramba.
Fora ele...
Quem ele indicar, eu acredito muito. Vai continuar o trabalho que ele deixou aí.
Então você vota na Dilma.
Com certeza. A gente vai apoiar a Dilma. Ele tá apoiando e a gente vai nessa.
Não teme ser tratado com deboche?
Não, cara. Não temo nada disso. Tô entrando de cabeça, de coração. Tô querendo fazer alguma coisa. Mesmo porque eu sou bem resolvido na minha profissão. Tenho um contrato de quatro anos com a Record. Tenho minha vida feita, graças a Deus. Tem gente que aceita, mas a rejeição é muito pouca.
Se for eleito, vai continuar na TV?
Com certeza, é o meu trabalho. Vou conciliar os dois empregos.
Em quem votou para deputado na última eleição?
Pra te falar a verdade, eu nunca votei. Sempre justifiquei meu voto.

Abert contesta lei que impede humor contra políticos.

Desde o início de julho os programas humorísticos do rádio e da televisão estão proibidos de apresentarem quadros satirizando os políticos. A proibição consta do art. 45, incisos II e III da Lei nº 9.504/97 (lei que regulamenta as eleições).

Antes de ontem (24/8) a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (Abert) ajuizou ação (ADI 4451) pedindo ao STF que declare a inconstitucionalidade dos dispositivos que impõem as restrições.


Segundo a Abert, a proibição "inviabilizam a veiculação de sátiras, charges e programas humorísticos envolvendo questões ou personagens políticos, durante o período eleitoral”, ferindo “as liberdades de manifestação do pensamento, da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação" essenciais à democracia e ao processo eleitoral.

O relator do processo do processo é o Ministro Ayres Britto.

CPI não ouviu a mulher do prefeito

Na audiência de hoje (26/8) a mulher do prefeito, Maria da Conceição Carvalho de Queiroz, usou do seu direito constitucional de não falar a respeito das acusações que o ex-secretário Ernane lhe fez.

A filha do prefeito - Tereza Queiroz - que havia sido convidada a depor, também não compareceu.

CPI do mensalinho ouve mulher e filha e prefeito

A partir das 8h 30 min de hoje (26/8) a CPI ouvirá os depoimentos da filha e da mulher do prefeito Haroldo Queiroz. A primeira é acusada de receber um pagamento mensal de R$ 1.500,00 tirado do salário do ex-secretário Ernane Oliveira. A segunda é acusada de ter intermediado os pagamentos.

A audiência será no plenário da Câmara Municipal.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

SESC terá SEXTA DO SAMBA no dia 27 de agosto (depois de amanhã)

Artistas:     
      Voz : Ana Zilma
      Voz, violão,pandeiro: Ciro
      Voz, violão, cavaquinho e arranjos: Boleka
      Violão de 7 cordas: Geraldo Ribeiro
      Percussão: Zezé

Concurso da Câmara: inscrições se encerram esta semana

As inscrições para o concurso da Câmara se encerram nesta semana. Para a inscrição presencial, às 17 horas do dia 27/8, sexta-feira. As inscrições pela Internet, à meia noite do dia 29/8 (domingo).

Para ver o edital, clique aqui.
Para ver o cronograma, clique aqui.

Veja o incêndio da Recapagem da Rua Dr. Juca

Não Faz Sentido! - Políticos - Veja o vídeo

5ª Mostra de Profissões da UFOP acontece em setembro

Republicação. Clique aqui para ler a notícia original

A quinta edição da Mostra de Profissões da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) está marcada para o dia 18 de setembro. As escolas interessadas em participar do evento podem se inscrever enviando o formulário de inscrição devidamente preenchido para o e-mail da Mostra: mostradeprofissoes@ufop.br.

Com salas interativas, palestras, visitas monitoradas, apresentações culturais e estandes, a 5ª Mostra de Profissões acontece no campus Morro do Cruzeiro, em Ouro Preto, e apresentará aos alunos e professores do ensino médio as propostas e realizações dos cursos oferecidos pela UFOP.

Em 2009, a Mostra de Profissões recebeu 6 mil alunos trazidos por cerca de 60 escolas de diversos estados do país. Em sua 5ª edição, a Mostra espera receber aproximadamente 8 mil alunos do ensino médio.

Mais informações pelos contatos da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) - (31)3559 1357 – e da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) - (31) 3559 1322, ou ainda, pelo e-mail da Mostra.

Baixe aqui o Formulário de Inscrição

Notícias dos amantes das magrelas

Titão das Montanhas manda avisar:

1) Neste último Domingo, em Congonhas, O Caio, conquistou o titulo de Campeão da Copa Internacional Pneus Levorin, categoria Sub 30. vamos parabenizá-lo, pois esta é a Copa mais importante do Brasil.

2) No próximo Domingo, temos 3 corridas aqui por perto, veja só: São Gonçalo - Maratona. Capitólio/Escarpas do Lago - Maratona. Rio Paranaiba - Croos Country. Quem tiver a fim de correr, aproveite.

3) No Feriado de 7 de Setembro, pretendemos realizar um treino no percurso de 30 Km, da corrida do Caio. Para todos que estiverem a fim, vamos sair as 8Hs da porta do Frango&Cia. Atenção será uma Terça-Feira.

4) No dia 13 último, tivemos o furto da bike de nosso colega Marcinho, ele parou na porta do Caio, e em menos de 5 minutos, ela foi furtada. Após muita procura, semana pasada ela foi vista no Bairro São Vicente, já estava pintada de Azul. Acionou-se a Polícia, mas não conseguiram achar, o Ladrão provavelmente já desmontou e sumiu com as peças. Devemos ficar alertas e não tirar o olho de nossas bikes; quem robou aquela com certeza pretende roubar outras.
Importante: Para ajudar o Marcinho a comprar outra bike, estamos rifando uma Camisa de Ciclismo. Gostaria de contar com colaboração de todos, a rifa está sendo vendida no balcão da Metal Bike, ao preço R$10,00, e o sorteio será no dia 26/09 dia da Corrida.

5) Estivemos em São Roque de Minas, pena que o Parque da Canastra, pegou fogo, e não deixaram a gente entrar pra pedalar. Na Primavera voltaremos, se assim Deus nos permitir. Também estivemos em Capitólio/Escarpas, lugar recomendadissímo para Cicloturismo, muito bonito.

6) Domingo Dia 5 de Setembro, queremos fazer um passeio para uma Cachoeira,talvez a da Ponte dos Crioulos, ou se alguén tiver outra sugestão, diz ai.

7) Só pra não pasar em Branco. Se possível na hora de votar, escolha um candidato comprometido com Saúde, Educação e Esporte de Competição. Pois vem ai a Copa e as Olimpiadas.

Prefeitura realizará PSS (processo seletivo simplificado)

A Câmara votará hoje projeto de lei que permitirá à prefeitura realizar processo seletivo simplificado para contratar pessoal para a saúde.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Belo Horizonte se prepara para a copa

Correio Braziliense entrevista pediatra Sérgio Cabral, de Bom Despacho

Clique aqui para ler a matéria na página do Correio Braziliense
Maria Fernanda Seixas
Publicação: 19/08/2010 17:51 Atualização: 20/08/2010 20:39
O perfil de sua carreira no site dos Médicos sem Fronteira conta um pouco sobre sua infância em Minas Gerais, quando sua família ajudava muito as pessoas necessitadas. Quando criança, como enxergava aquela realidade?
Para mim, tudo era muito natural. Eu só conhecia essa realidade. O normal era ser solidário, era ter uma casa de portas abertas para todas as pessoas. Eu sou o mais jovem dos irmãos (meninos) e conforme um irmão ia crescendo, passava sua roupa para o menor que ele, e eu era o último desta escala. Quando ganhava minha roupinha, usava até que o umbigo ou as canelas ficassem de fora. Muitas vezes, essas roupas não chegavam a mim, pois meus pais consideravam que outra pessoa necessitava mais do que eu. Esse tipo de coisa nunca me pareceu difícil. Para mim, a vida era bastante simples e compartilhar era o habitual. A gente sempre vê os pais como um modelo e o que os pais fazem é sempre o mais correto. Só percebi que aquilo não era um padrão para todas as famílias quando fui crescendo e entendendo a complexidade das coisas.

Lembra-se qual foi a primeira viagem de sua vida? Sempre gostou de viajar, conhecer novas culturas?
Meu pai trabalhava arrumando bombas de água nas fazendas, muitas vezes ele me levava com ele e aquilo me encantava. Para mim, tudo era muito longe e grande. Conhecer lugares novos, pessoas, animais, eu ficava encantado. Foi muito difícil ir para o Jardim de infância porque já não podia viajar com meu pai. Eu chorava escondido porque achava que estava aprisionado naquela escola. Quando cresci um pouco, ia sempre a Lagoa da Prata para passar alguns dias com minha irmã. Eram 60km e me parecia longe, uma aventura. Para mim, era um lugar onde as pessoas falavam diferente e tinham costumes diferentes. E lá tem uma praia de água doce, com areia e coqueiro… bastante diferente das margens de rios que costumava ver e nadar nos arredores de Bom Despacho. Aquele mundo pequeno me parecia muito grande. A primeira viagem para valer foi quando fui a João Pinheiro, uma cidade que fica a 360km de Bom Despacho (cidade onde nasci). Estrada de terra, viajando de caminhonete velha, me pareceu muito longe, achei que estava dando a volta ao mundo, e as pessoas tinham um sotaque estranho e usavam termos que eu achava muito engraçado. Fui crescendo e o mundo foi crescendo junto comigo. Na escola, descobri que existiam outros estados, outros países, outros continentes. Aprendi a ler e, lendo, viajava para muitos lugares que queria conhecer pessoalmente. Comecei a sonhar em viajar, conhecer o mundo. Sairia pelo sul do Brasil, passando pelo Uruguai e a hermana Argentina e subiria até o México. Tive uma grande inspiração lendo a história de dois homens viajando desde a Argentina e um deles chegou até o México e, depois, Cuba. Essa história batia com meus sonhos e descobri que ele era possível. Há poucos anos, a história desses dois homens deu origem ao filme “Diários de Motocicleta”. Depois de conhecer a América Latina, iria para outros continentes. Nunca consegui ter dinheiro para essa viagem. Mas confesso que continua sendo um sonho. As viagens me fascinam, e não tenho escolha do meio de transporte, de carro, trem, bicicleta, moto, a pé, etc.... só não gosto muito de avião, pois não se pode apreciar muito bem o percurso.

Como foi a experiência de cursar medicina em Cuba? Por que escolheu o país? Existiu algum choque cultural? O que aprendeu por lá, além da medicina?
Estudar no Brasil seria muito difícil para mim. Minha mãe me havia dito que não conseguiria me manter em Belo Horizonte para me preparar para o vestibular, mas meu irmão Benício me ajudou pagando a moradia, comida e o cursinho e ressaltou: “vai ter que estudar muito, e se quiser ir a Bom Despacho visitar a mãe vai ter que ir a pé”. Topei, mas fiquei preocupado com o futuro: Como faria quando passasse no vestibular? Os gastos aumentariam... Cuba era um país polêmico e isso me atraía. E era um país reconhecido por ter medicina e escolas de muita qualidade. Sabia que Cuba dava bolsas de estudos e, em 1986, quando o Brasil reatou relações com Cuba, eu estava trabalhando e terminando o segundo grau em Brasília e comecei a tentar uma bolsa. Em 1988, voltei para BH para fazer o cursinho, como expliquei acima, e neste ano consegui a bolsa de estudo para Cuba, e foi quando parti rumo ao desconhecido, para viver uma das experiências mais incríveis da minha vida. Nos primeiros momentos, tive um grande choque cultural. É normal que isso aconteça. A gente se vê inserido em uma cultura totalmente diferente e leva algum tempo para aprender as verdades alheias, ou seja, para quebrar nossas paredes culturais e absorver a nova cultura na qual nos inserimos. Além de ter que absorver a cultura cubana, com todas suas peculiaridades, vivia em residência estudantil com pessoas de vários lugares do mundo, latinos americanos, árabes, cingaleses, norte-americanos, etc. Como vê, foi um choque cultural vindo de todos os lados. Acho que neste momento aprofundei minha batalha de autoaprimoramento. Além de ter que aprender a conviver com a diversidade cultural, entrava para um curso de medicina que me obrigava a estudar mais do que tinha costume no Brasil. Mas, com o tempo, a gente absorve a cultura se adapta e a vida fica mais amena. Em Cuba, aprendi a ser mais solidário. Os cubanos prestam serviços humanitários em vários países pobres do mundo. As pessoas que vão trabalhar em outros países (professores, médicos, etc.) são chamados de internacionalistas, e convivendo neste ambiente comecei a pensar em ser um médico internacionalista. Aprendi também a ter uma visão mais humana do mundo, mais igualitária.

A partir de Cuba, você embarcou em diversas experiências pelo mundo. Foram viagens transformadoras?
Acho que sim, cada experiência é capaz de nos transformar. Às vezes, a mudança é tão pequena que não percebemos, mas se a experiência é contínua e principalmente variada ela será mais profunda e mais evidente. Claro, vivo um processo de transformação contínuo. Quando a gente abre a mente e o coração, a gente perde os limites da aprendizagem. Quando a gente absorve as verdades alheias, absorve diferentes culturas, a gente dinamiza a forma de pensar e de interpretar as coisas e as pessoas. E claro, a nós mesmos. Com esse processo, coisas pequenas passam a ter um valor imenso e coisas grandes podem passar a ser insignificantes. A mesma coisa acontece com nossos problemas. Muitas vezes, deixamos de nos preocupar com coisas que antes pareciam importantes e passamos a ter mais atenção com coisas que antes pareciam insignificantes. Pessoas simples podem passar a ser grandes e grandes pessoas podem passar a ser medíocres. Aprendi algo muito importante, aprendi que não temos que salvar as vidas das pessoas, não temos que resolver todos os problemas que encontramos (que são infinitos). A única coisa que podemos fazer é oferecer o nosso melhor. É nos dedicarmos com profissionalismo e fazer o melhor possível. O resto será consequência. Entender isso nos ajuda a lidar com as possíveis frustrações. Assim como a entender os limites existentes. Os nossos próprios limites, os limites do contexto e os limites do grupo (da Organização).

Qual viagem mais mexeu com você como pessoa? O que aprendeu nela?
Não saberia dizer, viajei bastante como mochileiro e também trabalhando com MSF. Cada viagem mexe comigo de alguma forma, locais que visito, reviver a história da humanidade ao entrar em um museu ou em lugares históricos, admirar-me com a beleza de algumas paisagens ou com algumas pessoas e seus costumes. Entristecer-me com situações catastróficas ou sub-humanas que algumas pessoas vivem. Passar apertos em viagens de aventura, me estressar com dificuldades e com segurança trabalhando em locais de alto risco (guerra, catástrofes, etc), curtir bons momentos com pessoas que se conhece durante as viagens, desfrutar momentos e lugares novos, saudade da família e dos amigos, etc. Tudo faz cada viagem ser importante e um verdadeiro sacolejo no corpo e na alma. Tudo me ensina muito. Como eu disse, vou sofrendo modificações constantes nesse processo de aprendizagem contínuo.

E como médico?
Como médico, aprendi a ser mais humano, mais dedicado e mais doce com os pacientes, a respeitar mais a dor alheia, as inseguranças e fragilidade que as doenças trazem para o doente e familiares. Acho que passei a entender melhor as doenças porque passei a entender melhor as pessoas. Descobri também que tenho muito que aprender, a cada dia tenho que aprender uma lição nova, de vida e profissional, senão fico inválido. Descobri que a gente trabalha todos os dias, vestindo o manto branco do conhecimento, mas na verdade estamos vestindo uma bolha branca que não nos deixa ver além de suas paredes. Por isso, todos os dias pela manhã arrebento essa bolha branca para poder recomeçar olhando além deste ‘manto’ quase sagrado. Descobri que sou um eterno aprendiz, que necessito polir-me a cada dia, retirar as arestas, dia após dia, deixar de ser pedra bruta. E este trabalho não finda.

Nas viagens do MSF, já passou situações extremas em acomodações? Esse é um detalhe que faz diferença para você?
Posso dizer que já fui de um extremo a outro. Já fiquei em acomodações muito boas, casa bem confortável, com TV, internet e comida de qualidade. E já estive em barraca, usando latrina, buscando água no balde para tomar banho de caneca, sem almoço e jantando sabe-se lá como chamar aquilo. Acho que faz muita diferença. Os dois extremos nos fazem pensar. No caso de estar em situações com melhores condições, no começo a gente se sente um pouco culpado por estar fazendo trabalho humanitário e hospedado em boas condições. Mas com o tempo a gente entende a importância que há em dar-se boas condições para os trabalhadores humanitários, pois o dia a dia já é bastante estressante, e chegar em casa e ter um mínimo de conforto é muito importante e ajuda para recomeçar no dia seguinte com mais energia. O caso do extremo de privação também faz diferença já que nos ajuda a conhecer na prática o que é viver com restrições, o que é não ter de fato. Nos ajuda a mudar nossos valores, nossas ambições, a dar mais valor a coisas simples e a perceber que coisas, que antes eram importante, passam a ter um lugar secundário, ou até mesmo perdem totalmente o valor. Não desejo que as pessoas tenham que trabalhar com privações, mas acredito que esta vivência ajuda muito a ver o mundo, as pessoas e a gente mesmo de modo diferente.

Qual foi o momento mais difícil de sua experiência como pediatra pelo MSF?
Não tenho certeza de que haja um momento mais difícil. Acho que trabalho humanitário é difícil todos os dias. Costumo dizer que deito cansado, estressado e muitas vezes frustrado, mas tenho que amanhecer renovado, tenho que renascer todas as manhãs. Se não for assim não se consegue fazer este tipo de trabalho por muito tempo. Mas talvez o Tempo que passei no Sudão tenha sido o mais intenso. No sul vivendo em barracas e com muitas restrições, começávamos o dia às cinco da manhã e voltávamos para o acampamento já escurecendo, sem almoço, cansado, queimado do sol porque trabalhávamos ao ar livre, pois não há estruturas hospitalares, e de tardezinha, ao chegar ao acampamento encontrava uma fila de pacientes esperando por atendimento médico. Naquele lugar desértico pessoas doentes apareciam sabe-se lá de onde, com as mais variadas doenças. O caso de uma menina com malária cerebral que tive que internar em minha barraca (na verdade já estava na minha barraca, no meu colchão quando cheguei) e passar a noite tratando a febre que nunca baixava e convulsões que insistiam em voltar a cada momento, talvez tenha sido um dos casos mais marcantes. Outro caso de uma mulher com uma hemorragia ginecológica que tive que fazer um verdadeiro rali para chegar à cidade mais próxima, que ficava a apenas 40km, mas demoramos o dia inteiro para levá-la e voltar, chegando ao acampamento à noite, depois de incríveis momentos desatolando carro, retirando carro de grandes buracos, sacolejos e solavancos..... Eu com o barro até os joelhos, conversando com a paciente para saber como estava, enquanto cavava o barro com uma pá para que o motorista tentasse sair do atoleiro. Outros momentos subindo sobre o jeep para tentar encontrar o rumo do “caminho”, já que não existem estradas naquela região. No Norte do Sudão houveram muitos outros casos importantes. Tive que fazer uma cirurgia de reconstrução da mão de um adolescente que moeu a mão em um máquina trituradora, atender pessoas vítimas de tiro, pois estávamos em uma região de guerra, crianças com queimadura extensas. E muitos outros atendimentos desse tipo que vão enchendo nossos dias de trabalho intenso, estresse e cansaço, mas com a recompensa de terminar o dia sabendo que todo o sacrifício valeu a pena, que nossa presença fez e faz a diferença. Acho que faço uma análise contínua, não tenho uma conclusão de tudo isso. Não acho que terminou, esses pacientes continuam aparecendo a cada missão muitos outros continuarão aparecendo e eu continuarei absorvendo e tentando fazer o meu melhor na tentativa de continuar crescendo como pessoa, como médico e como trabalhador humanitário.

Acredita que uma única viagem pode mudar a a vida de uma pessoa?
Acho que sim, dependendo de que tipo de viagem e de que tipo de experiência se tem. Mas é claro que quanto mais se viaja mais oportunidade de conhecer novas diversidades e de se conhecer com diferente perspectiva vão aparecendo e a mudança será maior e mais profunda.

Suas viagens são profissionais. Mas elas não contribuem apenas com o seu currículo. Ganhou autoconhecimento? Espiritualizou-se?
Como disse, gosto muito de viajar. Tenho viajado muito como mochileiro fora do meu trabalho. Costumo viajar depois que termino minhas missões, entre uma missão e outra. Ou mesmo como fiz quando estava trabalhando no Camboja. Tivemos uma semana de feriado prolongado, então peguei a bicicleta do Coordenador de Campo e viajei para o sul do Vietnã. Estive pedalando por uma semana, conhecendo muitos lugares bonitos, conhecendo pessoas bonitas, paisagens, diferentes contextos. Sempre que tenho oportunidade, gosto de viajar, seja para conhecer um museu em Paris ou para conhecer a igrejinha que ninguém conhece no interior da Bolívia. Sempre ganho muito conhecimento, viajando a trabalho ou não. Conheço melhor o mundo e conheço melhor a mim mesmo, meu potencial e meus limites. Hoje em dia, me decepciono menos com meus limites e exploro mais meu potencial. Acho que o grande salto espiritual que tive foi vivendo no Camboja, onde estive trabalhando por seis meses. Foi muito interessante conhecer a cultura budista vivendo num país budista. Não me tornei um budista, absorvi muito da passividade daquelas pessoas, aprendi a sorrir em momentos que antigamente me ofenderia.

E quando está de férias, que tipo de viagem faz?
Acho que não tenho uma regra, visito amigos em seus países, outras vezes vou conhecer lugares famosos, outras viajo meio sem planos ou então por lugares pouco conhecidos.

Ainda se sensibiliza com cenas difíceis ou aprendeu a lidar com frieza com certas situações?
Acho que aprendi, ou estou aprendendo a cada dia, a lidar com as situações difíceis, mas a sensibilidade tem aumentado. Me sinto muito mais sensível às situações que encontro. Pode-se trabalhar com muita dedicação, com muito profissionalismo, evitando que as dificuldades encontradas nos destruam emocionalmente. Há que se trabalhar sem perder a sensibilidade e ao mesmo tempo sem ser frio. Acho que o trabalhador humanitário tem que ser uma pessoa sensível, terna, e, ao mesmo tempo, muito profissional, muito centrado no que faz e quais são seus objetivos, para não perder o foco. Parece contraditório, mas não é. É uma questão de não deixar que a sensibilidade afete a qualidade e profissionalismo de seu trabalho. A frieza é o contrário disto. A pessoa fria pode ter muito conhecimento médico, mas não conseguirá fazer um trabalho médico de qualidade, já que a parte humana fica esquecida.

CPI do mensalinho ouve mulher e filha e prefeito

Quinta-feira (26/8) a CPI do mensalinho ouvirá a mulher e a filha do prefeito. A mulher, Maria da Conceição Carvalho Queiroz, foi acusada de intermediar o pagamento feito por Ernane Oliveira. A filha, Tereza Queiroz, foi acusada de ser a favorecida com o recebimento do dinheiro.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

CPI: prefeito se escafedeu mais uma vez

Numa rotina que se repete de forma entediante, o prefeito passou a semana inteira se escondendo para não ser intimado da audiência da CPI. Conseguiu. Mais uma vez será adiada a oitiva de filha e de sua mulher.

Como é bem sabido, o prefeito Haroldo Queiroz responde a dezenas de ações na justiça. Vem de lá essa experiência que ele tem de fugir do oficial de justiça. Quando precisam encontrá-lo, os oficiais de justiça vão de dupla à Prefeitura Municipal. Um entra pela porta principal, outro espera na porta da garagem, por onde o prefeito costuma fugir. Dessa forma, vez ou outra obtêm sucesso.

A partir de hoje inicia-se nova caça ao prefeito para a audiência que deverá ser marcada para a próxima quarta ou quinta-feira.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

CPI ouvirá mulher e filha do prefeito depois de amanhã (20/8)

Na próxima sexta-feira a CPI do mensalinho ouvirá a mulher e a filha do prefeito. A mulher, Conceição Queiroz, é acusada de intermediar o repasse de dinheiro tirado do salário do ex-secretário Ernane. A filha, Tereza Queiroz, é acusada de se beneficiar do repasse ilegal.

FESTEJO DO TAMBOR MINEIRO 2010

22 de Agosto, domingo, às 10h
Rua Ituiutaba, 339 - Prado / Belo Horizonte-MG
Entrada: 1kg de alimento não perecível
Outras informações: 31-3227-1187 / 3295-4149

GUARDAS DE CONGADO
Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário Sagrado Coração de Jesus - Belo Horizonte-MG
Guarda de Congo de São Benedito - Belo Horizonte-MG
Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário - Irmandade Nossa Senhora do Rosário Os Ciriacos - Contagem-MG
Guarda de Congo Nossa Senhora das Mercês - Irmandade Nossa Senhora do Rosário Os Ciriacos - Contagem-MG
Guarda de Moçambique Treze de Maio de Nossa Senhora do Rosário - Belo Horizonte-MG
Guarda de Congo Treze de Maio de Nossa Senhora do Rosário - Belo Horizonte-MG
Corte de Congado Catupé Estrela do Oriente - Bom Despacho-MG
Guarda de Congo Feminina de Nossa Senhora do Rosário - Belo Horizonte-MG
Guarda de Moçambique do Divino Espírito Santo - Belo Horizonte-MG
Banda Dançante do Rosário de Santa Efigênia - Conselheiro Lafaiete-MG
Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário e São José - Belo Horizonte-MG
Guarda de Caboclinho do Divino Espírito Santo - Belo Horizonte-MG
Guarda de São Jorge de Nossa Senhora do Rosário - Belo Horizonte-MG
Guarda de Moçambique de Nossa Senhora das Mercês - Oliveira-MG
Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário - Oliveira-MG

ATRAÇÕES ARTÍSTICAS
Meninos de Minas
Batuque salubre - Instituto Unimed-BH
Zal Idrissa Sissokho
Spasso Escola de Circo
Tom Nascimento
Maracatu Lua Nova
Pereira da Viola
Baque Trovão
Sérgio Pererê
Mauricio Tizumba
Marina Machado
Bloco Tambor Mineiro
Chico César
Bloco Oficina Tambolelê

EXPOSITORES
Nandyala Livraria
Dora Cabelereiros
Tambores Gerais
Congado
Tambor Mineiro
África In
Batuqueira Verdadeira
Tor
Mãos Dadas
Chiquita Bacana
Clareart's
Mulungu
A Música que vem de Minas
Sobá Livros

Cadeirinha de criança

A partir de 1º de setembro crianças com menos de oito anos só poderão andar de carro de passeio se estiveram numa cadeirinha própria. Em caso de desobediência a multa é de R$ 191,54 e o motorista perde sete pontos.

A determinação do Contran é de 2008 (Resoluçao 27708). A demora entre a publicação da norma e aplicação das multas foi para dar aos pais tempo comprar as cadeirinhas.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Prefeito é condenado por improbidade

A ASCOM do TJMG publicou a seguinte notícia:

09/07/2010 - Prefeito é condenado por improbidade
O juiz da comarca de Dores do Indaiá, José Adalberto Coelho, condenou L.D.R., ex-prefeito da cidade de Serra da Saudade, situada na região Centro-Oeste de Minas Gerais, por improbidade administrativa. Os valores serão apurados posteriormente.

Segundo os autos, o ex-prefeito solicitou a aquisição, sem processo licitatório, de 1,7 mil tesourinhas, 220 caixas de borrachas, 100 caixas de apontador, 500 caixas de giz branco, 600 caixas de massa para modelar, 2,5 mil cadernos e 2 mil pastas que seriam destinados a 36 alunos, da pré-escola municipal,a compra dos materiais escolares atingiu o valor R$ 92,7 mil.

De acordo com a ação civil pública, as mercadorias adquiridas não foram conferidas, além de terem sido superfaturadas. Ainda, a ex-secretária de educação afirmou em seu depoimento que os materiais não foram entregues na escola, nem doados aos alunos.

Em sua defesa, L.D.R. destacou que as assinaturas presentes nos documentos apresentados pelo Ministério Público teriam sido falsificadas e que não eram dele. O ex-prefeito sustentou ter havido “simples gestão imperfeita, livre de má fé, que não acarretaria improbidade”.

Porém, de acordo com o magistrado, ficou comprovado através de documentação e depoimentos que o ex-prefeito de Serra da Saudade violou os princípios que norteiam a administração pública. Afirmou que houve “abuso e irregularidades gritantes, seja pela ausência de licitação ou pela aquisição em quantidades exagerada e descabida de materiais escolares”.

Em sua decisão, o juiz José Adalberto Coelho destacou que “tal material, se realmente existisse, seria suficiente para distribuir aos alunos da pré-escola do Município de Serra da Saudade por mais de um século”. Sendo assim, condenou L.D.R. a ressarcir o município de Serra da Saudade pelas aquisições ilegais. Também suspendeu por três anos os seus direitos políticos e o proibiu de ser contratado para prestação de serviços ao Poder Público ou de receber benefícios ou incentivos fiscais, direta ou indiretamente, pelo mesmo período.

Por fim, o ex-prefeito foi deposto do seu cargo e obrigado a pagar uma multa civil equivalente ao dobro do valor subtraído dos cofres públicos.

Desta decisão cabe recurso.

Assessoria de Comunicação Institucional - Ascom
TJMG - Unidade Goiás
(31) 3237-6568
ascom@tjmg.jus.br

Processo nº 0232.05.011403-1

Charge da semana: sem corpo, sem grana

domingo, 15 de agosto de 2010

Uma arapuca chamada cheque especial

Veja a matéria abaixo na revista Tiploc que acaba de sair

Uma arapuca chamada cheque especial

Título de capitalização é um jogo no qual você perde. Consórcio é um negócio no qual você não ganha. Espero ter convencido você disso nos dois artigos anteriores.
Se você quer juntar algum dinheiro com simplicidade e baixo risco, opte pela caderneta de poupança. Mas, se tiver talento e coragem para investir, opte pelos títulos públicos, CDBs, ações, mercado futuro, forex (moedas). Deixe para os simplórios o consórcio e os títulos de capitalização. Você já sabe que são instrumentos perversos que transferem renda de quem tem menos para quem tem mais.
Igualmente perverso é o cheque especial. Sua praticidade e facilidade de uso são o chamariz da arapuca que já acaçapou quase todo mundo pelo menos uma vez na vida. O problema geralmente começa quando sobra mês no final do salário. A vítima usa o cheque para aguentar até a chegada do próximo contracheque. Pronto! O dreno se abre. Dali em diante, a cada mês vaza um pouco mais de dinheiro. A dívida cresce. Cheque especial é para situações inesperadas, raras e urgentes. Quando usado, o débito deve ser inteiramente coberto no máximo até o próximo pagamento. Se ficar em aberto por mais de 30 dias, algo está errado.
Não use o cheque especial para pagar contas de luz, água, telefone, supermercado. Não financie suas férias com ele. Quem faz tais coisas caminha para a ruína financeira. Se lhe parece impossível sair do cheque especial, é sinal de que você está vivendo na ilusão de que ele pode esticar seu salário. Não pode. O que estica o salário é adotar um padrão de consumo realista. É viver somente com o que se ganha. Moderar nos gastos é o primeiro passo para escapar da arapuca. O segundo passo é refinanciar a dívida.

Refinancie sua dívida
Após controlar os gastos você deve refinanciar o débito do cheque especial. O exemplo abaixo mostra por quê. Imagine um empréstimo de R$ 1.000,00 a pagar em seis meses. No cheque especial a taxa de juros será de 8,0% ao mês, o que resultará numa prestação de R$ 216,32. Portanto, você devolverá ao banco R$ 1.297,92 e ficará R$ 297,92 mais pobre. No empréstimo consignado a taxa é de 1,18% ao mês, o que resultará numa prestação de R$ 173,62. Você devolverá ao banco R$ 1.041,72 e ficará R$ 41,72 mais pobre. Assim, trocando o cheque especial pelo empréstimo consignado, você economizará R$ 42,70 por mês. Em seis meses você poupará R$ 256,20.
A economia acima mostra por que você deve refinanciar. Você pode também usar o 13o para se livrar da dívida. Mas isso não costuma funcionar. É que os viciados em cheque especial renovam nas festas de fim de ano a dívida que pagaram duas semanas antes.

Fale com o banco
Para refinanciar, informe ao seu gerente que você quer trocar a dívida do cheque especial por prestações fixas e taxas mais baratas. Ele concordará, pois não quer perder nem o dinheiro nem o cliente. Mas, se não concordar, procure outro banco. Se você tiver ficha limpa e carteira assinada, qualquer banco lhe fará um empréstimo consignado.

Outro caminho é você proibir o banco de debitar o saldo devedor do cheque na sua conta corrente. Isso o forçará na negociar. Mas, se mesmo isso falhar, procure um advogado. Impedir o débito automático em sua conta é um direito seu.
Mas não se iluda: ninguém pode tocar a vida de empréstimo em empréstimo, mesmo quando os juros são baratos. Sua meta deve ser jamais se endividar, seja com os bancos, seja com os carnês de lojas. Todo juro é perda de patrimônio.
Refinancie o cheque especial com empréstimo consignado, mas nunca refinancie um empréstimo consignado com outro empréstimo consignado. Fuja dos títulos de capitalização, dos consórcios e do cheque especial. Assim você evita que os bancos devorem seu dinheiro.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Decreto autoriza pagamento do abono de natal dos aposentados e pensionistas

Saiu hoje, no Diário Oficial o Decreto nº 7.264/10 que autoriza o adiantamento do abono de natal dos aposentados e pensionistas da previdência social. Metade do valor será pago juntamente com o pagamento do mês de agosto.

Como acontece todos os anos, esse adiantamento deverá repercutir nas vendas ao consumidor final.

Prosseguem as inscrições para o concurso da Câmara

Os preparativos para o concurso concurso da Câmara avançam. As inscrições presenciais podem ser feitas na Câmara Municipal de 13 às 17 horas, até o dia 27 de agosto. As inscrições pela Internet estão disponíveis 24 por dia e podem ser feitas até o dia 29 de agosto. Para se inscrever pela Internet, clique aqui.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Justiça manda prender políticos de Carmo do Paranaíba

Segundo publicou o MegaMinas, a justiça determinou a prisão do presidente e do vice-presidente da Câmara Municipal. Além desses dois vereadores, também foram presos o contador da Câmara e o ex-prefeito da cidade, Marcos Aurélio Lagares.

O motivo das prisões não foi divulgado. Na Câmara foram apreendidos sete computadores e um revólver.

SESC terá SEXTA DO SAMBA no dia 27 de agosto

Artistas:     
      Voz : Ana Zilma
      Voz, violão,pandeiro: Ciro
      Voz, violão, cavaquinho e arranjos: Boleka
      Violão de 7 cordas: Geraldo Ribeiro
      Percussão: Zezé

CPI adia audiência de sexta-feira (13/8)

A CPI marcou para sexta-feira (13/8) audiência para ouvir a mulher do prefeito e sua filha a respeito do mensalinho. Entretanto, nos últimos dois dias o prefeito não foi encontrado na prefeitura. Aconteceu o velho e conhecido esquema: agora, "ainda não chegou"; depois "já saiu".

Assim, como ele não foi notificado da audiência, ela será adiada para a semana que vem, em dia a ser definido pelos membros da Comissão.

Acre: a baixaria do candidato

No Acre, o candidato ao senado João Correia Lima (PMDB)não gostou quando o apresentador Demóstenes Nascimento pediu ao candidato que respondesse à pergunta feita, sem perder o foco. O resultado está aí no vídeo. É como dizem: é pena ver como o comportamento de 98% dos políticos dá má fama aos restantes 2%.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

PARA QUEM DEFENDE A LIBERDADE E ACREDITA NA IGUALDADE ENTRE AS PESSOAS, 11 DE AGOSTO É UM DIA QUE MERECE SER COMEMORADO! AFINAL, RECONHECER A IMPORTÂNCIA DESTA DATA É UMA QUESTÃO DE ORDEM!
 
Uma homenagem da 70ª Subseção da OAB/MG àqueles que trabalham todos os dias por uma sociedade mais justa e democrática!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Incêndio: mais um

Mal clareava o dia quando o fogo subiu no buracão, perto da Biquinha. Este ano é o quinto incêndio em matagais dentro da cidade. Continua preocupando o fato de Bom Despacho não ter uma guarnição do corpo de bombeiros. Também preocupa o fato de a prefeitura não providenciar a limpeza dos lotes (quando é o caso).

Concurso da Câmara: inscrições em andamento

As inscrições para o concurso da Câmara Municipal seguem abertas até o dia 27/8 para inscrições presenciais. Para inscrições pela Internet as inscrições irão até o dia 29/8.

O interessado que tem acesso a computador poderá fazer a inscrição clicando aqui. Quem não tem computador poderá fazer a inscrição na sede da Câmara Municipal.

Para ler o edital (PDF), clique aqui
Para ver só o cronograma, clique aqui

CPI do mensalinho ouve mulher e filha do prefeito na sexta-feira (13/8)

Depois de várias semanas dedicadas a trabalhos internos, a CPI do mensalinho voltará às audiências públicas. Na próxima sexta-feira (13/8), ouvirá a mulher do prefeito e secretária municipal Maria da Conceição Carvalho Queiroz, a quem Ernane atribui a intermediação do mensalinho. Segundo Ernane, D. Conceição foi a pessoa que levou-lhe a ordem para entregar o dinheiro à filha Tereza Queiroz. Também, segundo ele, foi ela quem recebeu as primeiras parcelas do mensalinho. Só mais tarde as entregas passaram a ser feitas diretamente à beneficiária, Tereza Queiroz.

Tereza Queiroz também poderá ser ouvida na sexta-feira.

A audiência terá início às 8h 30 min.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Promotoria visitará lixão

Amanhã (10/8) a promotoria visitará o lixão de Bom Despacho. A ideia é executar o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado com representantes da prefeitura. A situaçào é insustentável e não admite mais postergação.
Todos os dias - principalmente após o sol se por(*) – a fumaça tóxica avança do lixão até o Bairro do Rosário e o São Vicente. Pelo caminho vai envenenando o Conjunto Sabiá, Jardim dos Anjos, São José I e II, Jardim América.

(*) Durante o dia a dispersão é maior e a fumaça é menos visível. Com o resfriamento do ar ao anoitecer (inversão térmica) a fumaça não sobe e é levada pela brisa que sopra do lixão para o São Vicente. O fenômeno é bem registrado por fotos e filmes feitos no crepúsculo e à noite (como essas aí de cima).

Fogo no Lixão: a cretinice da prefeitura

Juliano Barreto, cansado de esperar, protestou mandando mensagem para o Estado de Minas. Depois de dois anos denunciando, a FEAM nada fez (mal sabe ele que as denúncias à FEAM remontam a 2003!).

O jornal ouviu a prefeitura. A explicação foi tão singela quanto cretina: em primeiro lugar, pretende dar a impressão de que a responsabilidade é da Fundação Israel Pinheiro. Em segundo lugar, simplifica a questão como se o problema fosse de alguém colocando fogo clandestinamente..

A verdade é que a obrigação é da prefeitura. A Fundação Isreal Pinheiro é uma entida privada que realiza projetos ambientais. Mas não tem obrigação nem de solucionar o problema nem de fiscalizar o lixão. Portanto, dizer que "as informações têm sido repassadas à mesma Fundação" – além de assassinar o português – não significa nada.

Agora, é imperativo que se acabe com o fogo no lixão. Mas isso não se significará nada, se o próprio lixão nào for desativado. Isso, obsevando as medidas técnicas aplicáveis à matéria.

 Quanto à resposta do SISEMA, parece brincadeira: depois desses anos todos de denúncia – depois das duas denúncias feitas por Juliano Barreto – eles ainda precisam fazer uma vistória?

A falta de seriedade e competência no enfrentamento da questão do lixo não está só nas autoridades municipais – especialmente prefeito e secretário do meio ambiente. Ela alcança as autoridades estaduais e federais também.

Trânsito: pais (e mães) continuam botando a vida dos filhos em perigo

Pais não deixam seus filhos colocar o dedo na tomada. Se moram em apartamentos, não deixam que brinquem na janela ou no parapeito da vanda. Também não deixam que seus filhos brinquem sozinhos na piscina e na lagoa. Mas uma coisa que muitos pais e mães ainda fazem é carregar o filho pequeno no banco dianteiro do carro. Sem cinto de segurança. Muitas vezes, em pé.

Mas piores mesmo são aqueles que carregam seus filhos no colo. É o chamado "baby-bag": quando vem o acidente o corpo da criança amortece o choque do peito do pai contra o volante. O pai costuma sobreviver. Já a criança, essa costuma morrer ou sofrer traumatismos múltiplos.

Admoestado, um pai se explicou: "não vou bater não".

Será que as pessoas que vão bater saem de casa sabendo que vão bater?

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Cuidados com as lâmpadas econômicas

As lâmpadas econômicas são vantajosas pois duram muito mais que as comuns (incandescentes) e consomem menos energia para produzir a mesma iluminação. Entretanto, são mais perigosas para o ambiente e para as pessoas, pois têm mercúrio, que é muito tóxico.

Pelo perigo que representam ao se quebrarem, o governo inglês publicou uma advertência indicando como devem ser tratadas em caso de quebra. As recomendações estão no cartaz abaixo (para ver a advertência original, clique na imagem).

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Bom Despacho capacita para produção de biodiesel

Será dia 18 de agosto, no SESC, o seminário de capacitação da agricultura familiar para produção de biodiesel. Clique no convite abaixo para ver imagem legível.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Senado aprova licença-maternidade de seis meses

Ontem (3/8) o Senado aprovou a PEC 64/07 que amplia de 120 para 180 dias a licença para gestante. Agora o projeto segue para a Câmara, onde deverá ser aprovado sem surpresas.

Em 2008 a lei 11.770/08 trouxe igual benefício, mas somente para as gestantes que trabalhavam em empresas que aderissem voluntariamente ao programa. Depois, alguns Estados é Municípios aprovaram leis estendendo o benefício e seus servidores.
A mudança aprovada pelo Senado alterará o inciso XVIII do art. 7º da Constituição da República. Dessa forma, vigorará para todas as gestantes, quer do serviço público, quer da iniciativa privada.

No Senado a PEC foi aprovada sem nenhum voto contra. Espera-se igual resultado na Câmara.

Sancionada Política Nacional de Resíduos Sólidos

Foi publicada dia 2 de agosto a lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (clique aqui para ver a lei).

Algumas exigências da lei apontam para um futuro bem melhor para o país. Entre elas, a proibição de importar lixo, a obrigatoriedade de fazer a reciclagem e a obrigatoriedade da logística reversa.

Exportação de lixo

Atualmente paises ricos estão exportando lixo para paises pobres. Isso acontece de duas formas. A primeira, é a exportação de lixo como lixo. Sem disfarce. A segunda é disfarçada, como aconteceu no caso dos pneus "recuperados". Eles são apanhados no lixo da Europa e dos Estados Unidos, são recapados lá mesmo ou aqui, e colocados de volta no mercado. Logo logo estão enchendo nossos lixões.

Carros, geladeiras, fogões, tudo isso é também exportado como forma de transferir resíduo dos paises ricos para os paises pobres.

Obrigatoriedade da reciclagem

Que deveríamos reciclar é uma questão tão óbvia que estranha ver como até hoje a maioria das pessoas e dos governos não cuida a sério do assunto. Agora nenhum material reciclável deverá ir para os aterros sanitários ou lixões. Tudo deve ser reciclado.

Logística reversa

Em termos muito simples, significa que o caminhão que traz a mercadoria nova (geladeira, pneu, pilha, óleo) deve levar de volta o material usado (geladeira usada, pneu velho, pilha descarregada, óleo queimado). Dessa forma, a própria indústria que lucra com a produção e venda deve também garantir a destinação correta dos seus produtos após o uso.

Leis que pegam e leis que não pegam

A Lei que institui a política nacional para resíduos sólidos não traz idéias novas. Entretanto, organiza e oficializa uma série de medidas que podem contribuirão para a melhoria do ambiente e também para a geração de empregos.

Mas, como no Brasil temos leis que pegam e leis que não pegam, ainda precisamos esperar para ver se essa pegará ou não.

Justiça afasta vereadores que interferiram na votação do Conselho Tutelar

Matéria publicada no g1.globo.com
Seis dos dez vereadores de Ubatuba, no litoral de São Paulo, foram afastados por tempo indeterminado da Câmara da cidade. A Justiça entendeu que eles cometeram irregularidades ao participar da eleição dos conselheiros tutelares da cidade.
De acordo com o Ministério Público, desobedecendo o regulamento da eleição, os vereadores afastados fizeram campanha para os candidatos – algo que só quem participava da disputa poderia fazer. Agora, os suplentes são a maioria na Câmara de Ubatuba.
“Houve a promiscuidade do processo de escolha, que se transformou em um processo eleitoral partidário. Houve transporte de eleitores, distribuição de benesses”, explicou o promotor Percy Kuster.
Um dos vereadores afastados diz que não cometeu nenhuma irregularidade. “Dizem que a minha assessora pediu voto para outras pessoas. Isso é uma mentira”, afirmou Rogério Frediani.
A Câmara informou que foi pega de surpresa, e teme que a decisão atrapalhe os trabalhos do Legislativo. “É um tanto quanto preocupante, porque a cidade perde muito com isso. Mas como decisão judicial deve ser cumprida, a gente acredita que tudo o que for determinado a Câmara vai cumprir”, disse Rodrigo Alksnins, secretário da mesa diretora.
Dos seis vereadores afastados, três já recorreram da decisão. Os outros têm ainda dez dias para entrar com o recurso.

Sidnei Valençola garante segundo lugar em Mateus Leme

Dia 1º de agosto Sidnei Valençola conquistou o segundo lugar de sua categoria na corrida de Mateus Leme.

Mesmo tendo caído e se machucado bastante, Valençola não desistiu. Sacudiu a poeira, deixou o sangue voar e correu para chegar em segundo.

Depois da corrida o médico costurou-lhe o braço com sete pontos.

Parabéns, Sidnei. Mas lembre-se de que o importante é a vida. Corrida é só diversão (que exige muito suor!)

Crônicas de um renal crônico - o livro do Desenhista

Desenhista (Antônio Osvaldo de Oliveira) era muito conhecido em Bom Despacho por dois motivos. Primeiro, porque era fanático por cinema. Depois, porque era um habilidoso desenhista (daí seu apelido).

No final dos anos 50, início dos sessenta, ele pegava pedaços de fita de cinema (pontas de filmes) e, com uma agulha, fazia desenhos animados. Para exibir as imagens, a meninada construía projetores com caixas velhas. As lentes de aumento eram lâmpadas que enchiam de água.

Foi assim que quase nasceu o Walt Disney bom-despachense.

Desenhista acabou virando pintor de placas, letreiros, e tudo mais que exigisse seu talento. Mas as tintas e solventes acabaram destruindo os rins do Desenhista. Aos 34 anos teve enfrentar a hemodiálise. Levou mais de uma década para receber um rim tranplantado.

Sobre suas venturas e desventuras, Desenhista escreveu o livro "Crônicas de um Renal Crônico". De quebra, narra importantes fatos relativos a Bom Despacho. Por exemplo, a fase de ascensão do Cine Regina, a história da Fábrica de Tecidos (CIAB), uma breve referência ao Cine Odeon.

Para quem se interessar, Desenhista ainda tem para vender alguns exemplares do seu livro.

Ciclistas de Bom Despacho irão à Serra da Canastra

Você está convidado para uma aventura na Serrana da Canastra. É lá que uma turma de ciclistas de Bom Despacho passará o final de semana prolongado dos dias 14 a 16 de agosto. A pousada fica a menos de 100 metros de uma cachoeira. Pouco acima, a nascente do Rio São Francisco. Para fazer a comida, um fogão a lenha.

Se você está interessado, prepare sua bicicleta(*) e fale com o Adelino, no telefone 8802-3628.

(*) Calma! A viagem é de carro. A bicleta é para usar dentro do parque.

Lei para moralizar os concursos

A Constituição de 1988 tornou o concurso obrigatório para a nomeação de servidores. A medida é moralizadora e democrática. Democrática, por que assegura a todos os brasileiros o direito de concorrer a uma vaga; moralizadora porque diminui o nepotismo.

Mas, a exigência constitucional continua sendo burlada e fraudada. As burlas mais comuns são os falsos cargos de confiança de livre nomeação e as contratações temporárias. A fraude mais comum é a venda de provas e gabaritos de concursos.

Bom Despacho é um péssimo exemplo de todos esses males: aqui há venda de aprovação em concurso, há contratações temporárias ilegais e há cargos de confiança absurdos.

Agora o Movimento de Moralizaçào dos Concursos conseguiu um avanço. Por intermédio do deputado Felipe Maia (DEM-RN), apresentou um projeto de lei que prevê oito anos de prisão para quem fraudar concurso.
b56a63c5-6e12-4ad3-81ef-13956069e781