sábado, 30 de abril de 2011

Charge da semana: apagão da CEMIG incomoda a cidade e causa prejuízos

Com afeto, sem açúcar

Na década de 70 o livro "sugar blues" chamou a atenção para um enorme problema de saúde pública: o consumo de açúcar. O uso desse adoçante, mesmo em quantidades pequenas, pode causar grandes males. Os mais conhecidos são a obesidade e o aumento das cáries. Mas esses não são, nem de longe, os problemas mais grave. Por suas consequências, o problema mais grave decorrente do uso de açúcar é o desenvolvimento do diabetes tipo 2. Essa doença é raríssima ou completamente inexistente entre os povos que não consomem açúcar.
Fonte: Revista Época
Mas, entre as cáries e o diabetes, outros males que costumam se curar em poucos dias após a eliminação completa do açúcar estão as dores de cabeças inexplicáveis, desconfortos estomacais, agitação, ansiedade, distúrbios de concentração, cansaço.

Parte desses males vem da influência direta que o açúcar exerce sobre a produção de dois hormônios que regulam nossas fontes de energia: a insulina e o glucacão.

Lamentavelmente, na maioria das vezes nutricionistas e médicos têm uma posição tímida com relação ao consumo de açúcar. Apenas recomendam a seus clientes que "diminuam" ou que "consumam moderadamente".

Acontece que praticamente não existe consumo "moderado" para um veneno como o açúcar. Ainda mais que ele está presente (mas oculto) em praticamente tudo que encontramos no supermercado. Hoje em dia todos os molhos, entalatados e até pimenta costumam ser "temperados" com açúcar. O açucar é também o principal componente em muitos chocolates, leite em pó e lanches.

Uns poucos médicos têm tido coragem de levantar a bandeira da guerra contra o açúcar de forma contundente. Um deles é o neurologista Robert Lustig, da Universidade da Califórnia. Recentemente a revista Época publica matéria sobre o assunto. Embora modesta e até simplória, vale a pena dar uma olhada (clique aqui para ler a matéria da Revista Época).

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Parlamentares na Suécia x Parlamentares no Brasil - veja a diferença

A Suécia está entre os países mais ricos do mundo. Seu povo é dos mais letrados (o analfabetismo foi eliminado na década de 1940). O sistema de saúde é reconhecido como dos mais eficientes que há. A democracia viceja.

Veja como vivem os parlamentares desse país e compare com o Brasil.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Globo: Programa de sustentabilidade no Centro-Oeste de Minas gera economia e defende natureza


(Para ver a matéria original, clique aqui).
Esse é mais um exemplo de que sustentabilidade e lucro são compatíveis.

Bairros e parte do centro sofrem com apagão da CEMIG

A iluminação pública de Bom Despacho é de péssima qualidade. As praças vivem às escuras. Basta tomar como exemplo a Milton Campos (Colégio Miguel Gontijo), Antônio Leite ("Pracinha São José") e Praça da Estação (Olegário Maciel). Estão todas entregues ao tráfico e ao consumo de drogas. Uma das causas é a escuridão que protege os criminosos e põe em risco os cidadãos.

Quando o assunto é tratado surge um jogo de empurra: a CEMIG diz que o problema é da prefeitura, a prefeitura diz que o problema é da CEMIG. Espremidos entre a negligência de uma e a desídia da outra, continuamos recebendo um péssimo serviço.

No fornecimento de energia a particulares a situação não está muito melhor. Bom Despacho vive um duplo apagão: o de energia e o de seriedade.

Parte do centro e os bairros Ana Rosa, Jardim dos Anjos, Monte Castelo e adjacências têm sofrido frequentes apagões. Durante a estação das chuvas foram vários. Alguns duravam segundos ou minutos; outros duravam horas.

Agora, na Sexta-Feira da Paixão e no Sábado de Aleluia o problema voltou com toda a força (sem trocadilho). Primeiro, esses bairros sofreram repetidos surtos. Depois vieram os apagões de 40 minutos ou mais.

Consumidores rurais

Os consumidores rurais também estão sempre com o coração na mão. Eles dependem do fornecimento contínuo de energia para resfriar o leite, chocar ovos, aquecer pintos, alimentar frangos, produzir ração para seus animais. Entretanto, têm sempre sofrido com apagões muito acima do razoável.

Acidentes e incidentes são perdoáveis. Mas o que temos aqui são fatos que se repetem rotineiramente há meses. Uma empresa que fornece energia elétrica – um bem essencial – não pode se dar ao luxo de prestar um serviço de qualidade tão ruim quanto este que Bom Despacho tem recebido.

As contas

Se do lado da prestação de serviço a CEMIG tem decepcionado, do lado administrativo não tem se saído melhor. É enorme o número de clientes que reclaram de leituras erradas e indevidas. Casas fechadas e sem morador apresentam contas elevadas; fornecimento que não é suspenso mesmo quando o cliente pede; erros absurdos nas leituras dos medidores; contas com preços impossíveis de serem pagos.

Quando o consumidor reclama ele ouve sempre a mesma cantilena: a culpa é dele! As explicações são as mais estapafúrdias.

As consequências desse serviço de má qualidade refletem-se no PROCON e na Justiça, onde a CEMIG DISTRIBUIÇÃO S/A responde a dezenas de processos. A CEMIG é quase sempre condenada. Mas não é isso que o consumidor quer, não é isso que a cidade precisa. O que todos querem e precisam é serviço de qualidade, a tempo e modo.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Consumidor se revolta com péssimo atendimento da BRASTEMP

Criado o fórum dos concurseiros de Bom Despacho

Desde a semana passada está funcionando o "fórum dos concurseiros de Bom Despacho". Seu objetivo é tratar de assuntos do interesse de todas as pessoas que pretendem fazer concurso ou que gostem de discutir o assunto.

Para visitar o fórum, clique aqui.

Fernando Cabral representa à Receita Federal contra Haroldo Queiroz

No dia 20 de abril a Receita Federal do Brasil recebeu a representação abaixo em desfavor do prefeito Haroldo de Sousa Queiroz (clique nas imagens para ler):




Charge da semana: escolas recebem material escolar de quarta categoria

domingo, 24 de abril de 2011

Gazeta do Oeste fala sobre notícia crime contra o prefeito Haroldo Queiroz

No dia 9 de abril de 2011 a Gazeta do Oeste, de Divinópolis, publicou matéria sobre a notícia crime contra o prefeito Haroldo Queiroz. Veja abaixo (para ler, clique na imagem).

Maestro Mário Domingos inaugura nova sede da Corporação Musical Nossa Senhora de Bom Despacho

Com forte presença popular, o Maestro Mário Domingos inaugurou ontem a sede da Corporação Musical Nossa Senhora de Bom Despacho. A construção dessa sede é resultado do esforço e dedicação de muitos anos. No seu empreendimento ele contou com o apoio de muita gente. De modo especial, da família de João Honorário. Embora mais conhecido como alfaiate, João Honório era também músico e foi fundador da Corporação.
Ouça abaixo um trecho do Hino Nacional tocado pela Corporação:


A corporação N. S. de Bom Despacho toca o clássico "Al di là"


Clique na foto abaixo para ver fotos da inauguração da sede da Corporação Musical Nossa Senhora de bom Despacho.

Foi um sucesso a VII Caminhada do João Jiló

Desde 2005 um grupo bom-despachense faz a Caminhada do João Jiló. Trata-se de um percurso de 21,5 quilômetros (meia maratona) que sai da Praça da Matriz, segue pela estrada da Passagem e vira para o Capivari dos Tutas. Dali segue pelas antigas estradas que margeiam o Córrego dos Raposos até chegar à estrada da Vilaça, de onde retorna à cidade passando pelo cemitério novo. A caminhada termina na Praça da Matriz.

A Caminhada sempre acontece na Sexta-Feira da Paixão. Daí o nome "Caminhada do João Jiló" – personagem de uma história infantil que tentou cozinhar um galo na sexta-feira da paixão. (Clique aqui para conhecer a história da Caminhada do João Jiló).


A COPASA apoio com sua pipa que levava 300 litros de água gelada.

Durante quase todo o percurso é possível ver Bom Despacho ao fundo

A caminhada começa às 6 horas da manhã. Às 7 horas uma légua já havia sido palmilhada

Moças bonitas e saudáveis não faltam na caminhada (o intruso não conta)

Rádio cidade transmite América-MG x Atlético-MG

A partir das 15h 30 min deste domingo a Rádio Cidade (FM 98,9) transmitirá o jogo entre América e Atlético. O jogo poderá ser acompanhado também pela Internet (www.radiocidadebd.com)

Célio Luquine pede reforma no asfalto da entrada da cidade

Cansado de esperar, o ex-prefeito Célio Luquine entrou na briga para que o asfato da entrada da cidade seja reformado. Em mensagem enviada a bom-despachenses, ele afirma que o trecho entre o trevo da 262 e o Bairro São José "parece até que chouveu tatu".
Por intermédio do Deputado Antônio Carlos Arantes, ele enviou pedido ao Secretário de Transporte, Carlos do Carmo Andrade Melles, para que este determine a duplicação e recapeamento da entrada da cidade. (Clique na imagem para ver o ofício em ponto maior)

Colunistas do Jornal de Negócios homenageiam Maestro Mário Domingos

Na tarde de ontem os colunistas do Jornal de Negócios Ítalo Coutinho, Tadeu de Araújo Teixeira e eu (Fernando Cabral), prestamos nossas homenagens ao Maestro Mário Domingos quando da inauguração da sede própria da Corporação Nossa Senhora de Bom Despacho.

Bom Despacho exporta arte e talento

Conheça nesta reportagem da TV Alterosa o talento de Joana que transforma cabaças em arte.

Veja a página original clicando aqui.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Artesania do Papel em Minas Gerais - XI Feira de Papel

Nos dias 29 e 30 de abril e 01 de maio, sexta, sábado e domingo será realizada no Mercado Distrital do Cruzeiro a XI Feira do Papel em Minas Gerais.

29 - abril - 2010 – sexta-feira de 12 h às 18 h.
30 - abril - 2010 – sábado de 09 h às 18 h.
01 - maio - 2010 – domingo de 09 h às 13 h.

Mercado Distrital do Cruzeiro
Rua Ouro Fino, 452 ou Rua Opala s/no
Bairro Cruzeiro – Belo Horizonte – MG

terça-feira, 19 de abril de 2011

PRM recebe representação contra Haroldo Queiroz

Foi protocolada hoje, na Procuradoria da República em Divinópolis, uma representação contra o prefeito Haroldo de Sousa Queiroz pelo desvio de dinheiro no Córrego das Palmeiras ("Machados"). Leia a primeira folha clicando na imagem abaixo.

domingo, 17 de abril de 2011

Estado de Minas: Base aliada leva a melhor

(Matéria publicada no Estado de Minas de 17/4/2011 - páginas 6 e 7 - Para ler a notícia na página do Estado de Minas, clique nas imagens).


Jogo político
Para vereadores, força dos prefeitos dentro do Legislativo é o grande obstáculo para instalação de comissões parlamentares para investigar denúncias de irregularidades nas administrações
Isabella Souto, Marcelo da Fonseca Simone Lima, Maria Clara Prates e Luiz Ribeiro

Ter o direito oficial de investigar uma autoridade pública não é nada fácil – especialmente se ela contar com uma base aliada com força dentro da Câmara Municipal. Pelo menos essa é a justificativa apresentada por alguns vereadores para a rejeição ao requerimento de abertura de uma comissão parlamentar de inquérito ou até mesmo para obter as assinaturas necessárias para apresentar um pedido de CPI. No embate entre situação e oposição, geralmente o primeiro grupo leva a melhor, até porque costuma ser mais numeroso. E, para a abertura de uma CPI ou comissão processante, é necessária a adesão de pelo menos um terço dos parlamentares, conforme determinação legal.

É o que ocorreu em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Até pouco tempo, entre os 14 vereadores da cidade, 10 integram a base do governo Walace Ventura (PSB). Resultado: o requerimento para abrir uma CPI que investigaria possíveis irregularidades na construção de escolas municipais contou com apenas quatro assinaturas – uma a menos que o necessário. “Atualmente, somos só três da oposição. Mas se um dia conseguirmos cinco assinaturas, reapresento o pedido para uma CPI”, avisa o vereador Vanderlei Delei (PMN). De acordo com ele, a investigação é um desejo também dos moradores, que participaram de uma audiência pública para discutir o assunto.

ABAIXO-ASSINADO Nem sempre a vontade popular prevalece mesmo. Em Matozinhos, na Região Central, a Câmara recebeu um abaixo-assinado com 153 assinaturas requerendo a abertura de uma CPI para apurar possíveis irregularidades na licitação e execução das obras de reforma de sete escolas municipais. No despacho contrário à criação a CPI, o presidente da Casa, Emanuel Ôba, alegou que pareceres jurídicos apontaram que o requerimento apresentado continha caráter genérico e indefinido, não atendendo os requisitos constitucionais e legais da determinabilidade do fato, exigidos para a instauração da CPI.

DESISTÊNCIA Em Caratinga, no Rio Doce, uma CPI até começou a investigar as condições da compra de um terreno de 20 mil metros quadrados destinado à construção de moradias do programa Minha casa, minha vida. Mas só começou. Não concluiu os trabalhos porque dois dos quatro vereadores que assinaram o requerimento para a criação do grupo retiraram o nome – o que levou à extinção do grupo. “Infelizmente, encontramos irregularidades mas tivemos que arquivar. Alguns vereadores desistiram no meio do caminho, o que é lamentável”, afirmou o presidente da Câmara, João Roberto Leodoro Mestre (PTB), que também presidia a CPI. Segundo ele, foi entregue ao Ministério Público um relatório com as irregularidades encontradas pela CPI.

Investigação vem de todo lado

Além de passar pelo crivo de vereadores, alguns prefeitos também são alvo de investigações feitas pela Polícia Federal e Ministério Público. É o caso do prefeito de Bom Despacho, Haroldo Queiroz (PDT), investigado pelo MP sob suspeita de desvio de verba, estelionato, superfaturamento, ocultação de documentos públicos e viagens ao exterior sem aviso prévio à Câmara Municipal. Um documento com mais de 15 irregularidades que teriam sido cometidas pelo Executivo foi entregue aos promotores da cidade, localizada no Centro-Oeste de Minas. O órgão abriu inquérito para apurar os fatos.

Segundo o autor das denúncias, vereador Fernando Cabral (PPS), entre as irregularidades mais “assustadoras” está o desvio de recursos em obras do Córrego dos Machados. O parlamentar afirma que, dos cerca de R$ 6,2 milhões gastos na obra, pelo menos R$ 3,3 milhões foram desviados. “Nada está claro. Há desfalque em quase tudo”, acusa. No dia 7, Cabral oficializou a denúncia também na Polícia Federal. O vereador ressalta ainda que seis dos nove vereadores são aliados do prefeito e que, por isso, as denúncias foram arquivadas pela Câmara. O presidente da Casa, Marcos Fideles (PSDB), justificou o arquivamento: os documentos apresentados precisam ser melhor analisados.

A administração de Itaúna está sendo investigada pela Câmara e pela Polícia Federal. Em 2007, vereadores descobriram que R$ 2,5 milhões destinados à compra de 100 computadores para 26 colégios municipais haviam tomado rumo desconhecido. Uma CPI foi aberta, e durante apuração os parlamentares encontraram apenas cinco laboratórios e 78 máquinas, sendo que a prefeitura teria gasto até abril de 2010 cerca de R$ 6 milhões com a montagem e manutenção dos laboratórios.

No mês passado, foi aberta uma comissão processante (CP) que pode levar à cassação do prefeito Eugênio Pinto (PT). Segundo o vereador e presidente da CP, Alex Arthur da Silva (PSDB), em 15 dias será feita a perícia que comprovará se houve ou não desvio de verba e superfaturamento. Outro problema enfrentado pela prefeitura é a acusação de fraude em um processo de licitação, que está sendo investigado pela PF na Operação Trem das Sete.

CASAMENTO Em Pequi, a 116 quilômetros de BH, a prefeitura está sendo investigada pelo Ministério Público por usar um micro-ônibus escolar para transportar convidados de um casamento até o município vizinho de Florestal. Embora tenham recebido a denúncia, os vereadores não abriram uma CPI. O presidente da Câmara, Ronaldo de Oliveira Castro (DEM), afirmou que recebeu um ofício do Executivo explicando que o ônibus que estava levando os convidados quebrou. Por isso, emprestou o micro-ônibus. “Enviamos esse ofício também ao MP e estamos aguardando um posicionamento”, alegou o parlamentar. Por telefone, o prefeito José Oliveira Alves (PSDB) afirmou que emprestou o veículo para “socorrer” os convidados.

LIMINAR Um incidente na formação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada na Câmara, jogou por terra a cassação do prefeito de Buritizeiro, padre Salvador Raimundo Fernandes (PT), que reassumiu por força de liminar expedida pelo Tribunal de Justiça de Minas. Salvador é acusado de, antes mesmo de assumir o cargo, contratar uma empresa para fazer a limpeza urbana, sem licitação. O contrato foi firmado em dezembro de 2008 com a empresa Incorporadora e Prestadora de Serviço Milenium Ltda,, de Brasília, que recebeu cerca de R$ 400 mil, até abril, mesmo diante da irregularidade. Ele também é investigado na Operação Conto do Vigário, que apurou desvios de mais de R$ 100 milhões em prefeituras do Norte, fraude em licitações e vendas fictícias de medicamentos. O prefeito reassumiu o cargo em fevereiro, mas teve os bens bloqueados em ação civil pública proposta pelo Ministério Público Estadual, para apurar o caso da empresa Milenium.

PREVIDÊNCIA No fim de março, a Câmara Municipal de Januária, no Norte de Minas, instalou uma comissão processante, para investigar denúncia contra o prefeito Maurílio Arruda (PRB), que teria efetuado desconto no contracheque dos servidores e não repassou o valor para o Instituto de Previdência Municipal (Prevjan), o que caracteriza o crime de apropriação indébita. O relator da comissão, vereador José Patrocínio Almeida (PT), aguarda a defesa do prefeito para emitir seu parecer. O prefeito rebate, dizendo que está “tranquilo”, pois a acusação não procede. Somente em 2010, assegura que passou para o Prevjan R$ 2,7 milhões.

Ironicamente, Arruda é advogado especializado em direito administrativo e já escreveu um livro, no qual afirma que muitos institutos de previdência municipal acabam se dissolvendo porque não recebem recursos das prefeituras.

Justiça entra em ação

No meio da briga entre prefeitos e vereadores, a disputa chega muitas vezes até o Poder Judiciário, que entra em ação para decidir sobre a legalidade de comissões e acompanhar de perto o andamento das apurações. Os três vereadores da comissão processante que investigou supostas irregularidades cometidas pelo prefeito de Caetanópolis, Romário Vicente Alves Ferreira (PSDB), aguardam apenas a publicação de um acórdão do Tribunal de Justiça para marcar a reunião que vai votar um pedido de cassação do mandato. As denúncias referem-se ao pagamento irregular de diárias de viagem. Às vésperas da votação sobre a cassação, o prefeito conseguiu uma liminar no TJ suspendendo a reunião. No último dia 29, ao julgar o mérito, os desembargadores entenderam que não houve qualquer irregularidade no trabalho do grupo, e liberaram a realização da votação.

Em Dores do Indaiá, na Região Centro-Oeste, o vereador Sílvio Silva (PPS) ajuizou mandado de segurança, no fim do ano passado, para conseguir investigar supostos desvios de verbas para educação e recursos destinados ao transporte escolar. Mas a CPI foi barrada pela Justiça tempos depois. “Chegamos a ser impedidos de nos reunir para discutir o andamento da comissão. Mas vamos continuar investigando. É nosso dever investigar as ações do Executivo”, afirma Sílvio.

A ação do Judiciário também interferiu no andamento de investigações feitas por vereadores em Conceição da Aparecida, na Região Sul do estado. Os parlamentares se organizaram para apurar supostas irregularidades em decretos do prefeito João Alberto Amaral (PT). Porém, na formação da comissão foram apontadas irregularidades que impediram a sua continuidade. “Levei o problema para a comarca de BH, mas falaram que teríamos que conseguir mais documentos. Como tudo isso gasta dinheiro e tempo, a mobilização diminuiu. Mas continuamos a investigar as irregularidades”, avisa o presidente da Câmara, Cilésio da Silva (PDT). (IS e MF)

Estado de Minas: Investigação vem de todo lado

O Estado de Minas de hoje (17/4) publicou duas páginas sobre diversas prefeituras mineiras onde grassa a corrupção. Sobre Bom Despacho, disse:

Além de passar pelo crivo de vereadores, alguns prefeitos também são alvo de investigações feitas pela Polícia Federal e Ministério Público. É o caso do prefeito de Bom Despacho, Haroldo Queiroz (PDT), investigado pelo MP sob suspeita de desvio de verba, estelionato, superfaturamento, ocultação de documentos públicos e viagens ao exterior sem aviso prévio à Câmara Municipal. Um documento com mais de 15 irregularidades que teriam sido cometidas pelo Executivo foi entregue aos promotores da cidade, localizada no Centro-Oeste de Minas. O órgão abriu inquérito para apurar os fatos.

Segundo o autor das denúncias, vereador Fernando Cabral (PPS), entre as irregularidades mais “assustadoras” está o desvio de recursos em obras do Córrego dos Machados. O parlamentar afirma que, dos cerca de R$ 6,2 milhões gastos na obra, pelo menos R$ 3,3 milhões foram desviados. “Nada está claro. Há desfalque em quase tudo”, acusa. No dia 7, Cabral oficializou a denúncia também na Polícia Federal. O vereador ressalta ainda que seis dos nove vereadores são aliados do prefeito e que, por isso, as denúncias foram arquivadas pela Câmara. O presidente da Casa, Marcos Fideles (PSDB), justificou o arquivamento: os documentos apresentados precisam ser melhor analisados.
(clique na imagem para ver em ponto maior).

Charge da semana

sábado, 16 de abril de 2011

Ascone Acir Parreiras continua mentindo e tentando enganar

     Em recente mensagem divulgada pela Internet (transcrita no final), o ASCONE Acir Parreiras mentiu mais uma vez para a população de Bom Despacho. A respeito do desvio de concreto no Córrego das Palmeiras (“Machados”), disse que houve uma modificação no projeto e que o concreto economizado foi usado para aumentar a extensão da canalização.
     São duas mentiras numa afirmação só.
     Primeiro, não houve esse tipo de modificação nem houve autorização para isso. Segundo, não houve aumento de nem um milímetro na extensão do canal. .
     Como essa conversa fiada de “extensão” vem de longe (consta até de alguns documentos oficiais), vamos desmascará-la de uma vez por todas e acabar com essas mentiras do ASCONE.
      O edital de licitação da obra, publicado em 10 de fevereiro de 2006, especifica a extensão da seguinte forma:

As obras deverão ser realizadas no Córrego dos Machados, no trecho compreendido entre a Rua Antenor F. do Amaral e as proximidades do “Beco do Zeca do Couto” na cidade de Bom Depacho, MG, numa extensão de 1.900,00 metros lineares.

      Isso prova que desde o início a extensão prevista era de 1.900 metros. Não existiu nenhum aumento, como mente o ASCONE Acir Parreiras.
      Outra coisa: se houvesse dúvida, o número poderia ser facilmente confirmado pela delimitação fornecida pelo próprio edital. Ele esclarece que o início será na Rua Antenor F. do Amaral e fim (Beco do Zeca do Couto. Portanto, a geografia confirma a metragem.
      Mas o número pode ser confirmado de outras formas. Por exemplo, na planilha do convênio está indicado o plantio de 17.100 metros quadrados de grama. Como o gramado tem 4,5 m de cada lado, para dar 17.100 metros quadrados a extensão precisa ser de 1.900 m (4,5 m x 2 x 1.900 m = 17.100 m2).
      Podemos usar tambem o passeio como referência. A planilha prevê a construção de um passeio com 7.600 m2. Como ele tem dois metros de largura, e está de um lado e outro, essa metragem somente será possível se a extensão do canal for de 1.900 metros lineares (2m x 2 x 1.900 m = 7.600 m2).
(Veja os números na planilha e a especificação no edital clicando nas respectivas imagens abaixo).











      Como se vê, o ASCONE mente, engana e confunde. Ele é tão cara de pau que ousa distribuir mensagens que contrariam frontalmente os fatos. Ou não sabe que mentira tem pernas curtas ou pensa como o propagandista nazista Goebbles, para quem qualquer mentira pode ser transformada em verdade se repetida muitas vezes. (Ainda bem que o tempo do nazismo acabou)
     Confirma os números nos documentos acima (planilha e edital) e depois veja a mentira que o ASCONE conta sobre o uso do concreto e do ferro para estender o canal. Extensão que nunca houve. 
     Noto, porém, que essas mentiras do ASCONE trarão ao menos dois benefícios para Bom Despacho: o primeiro é que até o mais inocente e ingênuo dos bom-despachenses perceberá quem é Acir Parreiras. O segundo é que elas nos darao oportunidade anunciar a verdade, SEMPRE COM BASE EM PROVAS CONCRETAS, como o edital e a planilha acima.

Para seu conhecimento e gáudio, veja abaixo a mensagem que o ASCONE Acir Parreiras divulgou pela Internet.

Alerta aos bom-despachenses,
Aós publicação do vereador Fernando Cabral em seu blog, nesta sexta-feira com o título "Veja como o concreto foi desviado do Córrego das Palmeiras (Machados)", é que conseguimos entender pq o mesmo insiste nas denúncias vazias. Se vc tiver tempo para acessar o blog do pobre coitado, vale a pena ver o desenho que ele publicou. O erro dele começou quando passou a investigar aquele desenho (projeto), que foi o inicial. No decorrer do processo o projeto foi alterado após estudo geológico na região do córrego e o desenho inicial foi alterado com autorização do Ministério e da Codevasf. Existem outros projetos após este que o mesmo fez questão de omitir a todos. Isso é esperado, pois o mesmo quer publicar o que lhe convém, como faz também na sua coluna no Jornal de Negócios, na Rádio Difusora e em seu blog. Na verdade a diferença de concreto e ferragem que foi economizado com a mudança do projeto foi aplicada no aumento da extensão da canalização. Prestação atenção Fernando Cabral!
ATENÇÃO FERNANDO CABRAL: se for isso a sua denúncia, você perdeu tempo, gastou o tempo de todos que te escutaram e gastou dinheiro sem necessidade com tantas cópias xerográficas, além de ter usado a Câmara Municipal desnecessariamente. Mas o objetivo não foi apurar nenhuma irregularidade e sim se promover politicamente. Se alguém tiver dúvida com relação ao que ele publicou nesta matéria, basta entrar em contato com a Codevasf, em Montes Claros, que os técnicos e engenheiros de lá vão confirmar o que estou falando.
Acir Parreiras Jr.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Atletas de ponta de Bom Despacho posam antes da Minimaratona do SESC

Antes de partirem como raio rumo aos 5,5km e ao pódio, os atletas da elite bom-despachense posam para uma fotografia histórica.

Veja como o concreto foi desviado do Córrego das Palmeiras ("Machados")

        Abaixo há um corte do canal do Córrego das Palmeiras ("Machados"). Os retângulos em preto representam onde o concreto não foi aplicado. A empreiteira "afinou" as paredes e o fundo em 20 cm. Além disso, deixou de aplicar concreto na parte central do canal. Com isso usou 3.648 metros cúbicos de concreto a menos. A R$ 330,77 isso significa que deveria ter cobrado R$ 1.206.648,96 a menos.

        Entretanto, não foi o que aconteceu. O concreto economizado não reverteu em benefício para a prefeitura. Ao contrário, foi para o bolso da empreiteira.
A área em preto indica o concreto que não foi aplicado no canal do Córrego das Palmeiras (multiplicando a área por 1.900 m tem-se o volume em metros cúbicos. Multiplicando-se por R$ 330,77 tem-se o prejuízo em reais.)

        Em e-mail enviado a diversos bom-despachenses, o ASCONE Acir Parreiras disse que não há provas concretas das falcatruas do  prefeito Haroldo Queiroz. Ora – se o Ascone me permite o trocadilho – é impossível provas mais concretas do que essa falta de concreto...

Lista fechada é golpe das oligarquias contra a democracia

Há uma minirreforma eleitoral em andamento. Algumas idéias são boas, mas provavelmente não serão aprovadas. Por exemplo, o voto distrital. Outras são péssimas, mas poderão ser aprovadas. Por exemplo, a lista fechada.

Segundo esse mecanismo, o partido faz uma lista ordenada de candidatos. Por exemplo, Zé, Pedro, Joaquim, Maria. Eles serão eleitos nessa ordem, independentemente dos votos que tiverem. Digamos, se o partido com essa lista eleger dois candidatos, eles serão Zé e Pedro, ainda que Joaquim e Maria tenham recebido 10 vezes mais votos do que os dois primeiros.

Ou seja, nesse sistema de lista fechada os donos dos partidos fazem a lista, colocam seus nomes em primeiro lugar e se perpetuam nos cargos.

No Brasil de hoje, na forma como funcionam os nossos partidos, essa lista fechada é um golpe fundo na democracia. É apenas uma forma de garantir que os mesmos continuarão ganhando sempre. O resto que se dane.

Sérgio cunha informa:

11ª rodada, a última da 1ª fase do Campeonato Mineiro. Os quatro classificados já estão definidos, mas a definição ainda não. Todos tem chances de ser o primeiro e beliscar a vantagem de dois empates e decidir em casa. O Galo enfrenta a sensação do interior ainda sem a equipe ideal de Dorival Junior. Neste domingo, Atlético -MG x América -TOT, a partir das 15h30, na Arena do Jacaré, Sete Lagoas.

Políticos precisam tolerar críticas, diz corte

(Matéria transcrita de www.conjur.com.br)

A Corte Europeia de Direitos Humanos determinou que Portugal pague 5 mil euros (quase R$ 12 mil) de indenização para um jornalista condenado por difamação. De acordo com o tribunal europeu, o Judiciário português violou a liberdade de expressão ao considerar crime críticas feitas pelo jornalista a um político.
Joaquim Letria, repórter conhecido em Portugal, foi condenado por chamar de mentiroso Antero Gaspar, ex-prefeito da cidade de Castelo de Paiva. Em 2001, uma ponte da cidade caiu. No acidente, 59 pessoas morreram. Pouco depois, foi formada uma comissão parlamentar para descobrir as causas da tragédia. Gaspar foi questionado sobre autorizações dadas para empresas extraírem areia perto da ponte, o que poderia ter contribuído para o acidente. Ele negou que tenha dado qualquer permissão, mas acabou confrontado com os documentos com a assinatura dele.
Em um artigo para o hoje extinto 24 Horas, o jornalista Letria criticou a postura de Gaspar e chamou o político de mentiroso. Por causa do texto, foi parar nos tribunais e acabou condenado. Apelou, mas perdeu em todas as instâncias. Levou, então, a discussão para a Corte Europeia de Direitos Humanos.
Na decisão divulgada esta semana, os juízes europeus reafirmam que o espaço de crítica é mais amplo quando o alvo são pessoas públicas. A proteção à reputação de políticos não pode chegar ao ponto de barrar discussões abertas sobre problemas políticos, explicou a corte. Para o tribunal, a punição imposta pela Justiça portuguesa ao jornalista pode desencorajar outros profissionais da imprensa a exercer o seu papel de informante social e vigilante público.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Os erros e os engodos do ASCONE Acir Parreiras

Acir Parreiras é o Ascone do Prefeito Haroldo Queiroz. Um dos seus papéis é soprar as besteiras que o prefeito fala. Isso Bom Despacho inteira constatou na última entrevista que Haroldo Queiroz concedeu à Rádio Difusora: enquanto o prefeito lançava ao ar palavrões e xingamentos, todos podiam ouvir o Ascone soprando no ouvido dele. Uma coisa engraçada se não fosse trágica: temos um prefeito cujas palavras são comandadas pelo Ascone. Um boneco de ventríloquo.

Outra tarefa do Ascone Acir é desinformar, enganar e mentir. É para isso que ele recebe o dinheiro que sai dos nossos impostos. E, de quebra, ainda ajuda o prefeito na lavagem do dinheiro, como vem fazendo com a cobertura que lhe dá na churrascaria de Nova Serrana.

Nos últimos dias Acir tomou como missão tentar desqualificar a denúncia que fiz contra o prefeito Haroldo Queiroz, na Câmara. Para isso lançou mão de uma campanha de e-mails mediante os quais mente e tenta enganar seus destinatários.

Como a verdade e a luz são a melhor assepsia contra a mentira e a turvação, segue uma das mensagens dele com os esclarecimentos necessários. (A parte em caixa alta e negrito foi escrita por ele. Após cada trecho, o comentário).

QUEM VAI SER ENTERRADO NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES SERÁ O VEREADOR FERNANDO CABRAL. ESPERE PRÁ VER, POIS AS PESQUISAS ELEITORAIS JÁ APONTAM ISTO.
Acir mente. Tais pesquisas não existem. E as pesquisas informais que há, apontam no sentido oposto ao que ele diz. Mas esse não é o ponto relevante. O ponto relevante é que a informação mostra a única preocupação que passa pela cabeça de Acir: as eleições. Ele não se interessa pela verdade, não se interessa pelos fatos, não se interessa em saber se o dinheiro do erário está ou não sendo roubado. Isso mostra quão curta e irrelevante é sua visão e quão mau é o seu caráter.

Acir sabe – porque eu já lhe disse – que ao político honesto não interessa se ele vai ou não ser eleito ou reeleito. Isso é secundário. O importante é que ele cumpra a sua missão. É para isso que os eleitores o elegem. É para isso que os eleitores o pagam. Mas, trabalho honesto e resultados positivos para a população estão fora do alcance do Ascone.
E TEM MAIS: AS PROVAS APRESENTADAS, DESVAIRADAMENTE, JÁ FORAM APRESENTADAS EM 2008 PELOS VEREADORES TITO, JOAQUIM E GODÊ E NADA PROVARAM, INCLUSIVE O MINISTÉRIO PÚPLICO ESTADUAL ANALISOU TUDO. PORTANTO, OS VEREADORES JÁ ESTÃO CANSADOS DESSA FALAÇÃO SEM PROVAS CONCRETAS.
Aqui a vontade de enganar seus leitores salta aos olhos. Não serei exaustivo, para não cansar o leitor. Mas destacarei alguns pontos que mostram como Acir mente mesmo quando tangencia a verdade.
a) A denúncia que apresentei na Câmara trata de diversos assuntos. Entre eles:
    • Compra ilegal e superfaturamento de veículos
    • Fraude na canalização do Córrego das Palmeiras (erradamente chamado de "Machados")
    • Mentiras diante da Câmara
    • Contumaz emissão de cheque sem fundo
    • Prática reiterada de jogos de azar
    • Viagens ao exterior sem autorização da Câmara
    • Renitente prática de sonegação fiscal
    • Enriquecimento sem causa
    • Licitações fraudadas
    • Cessão ilegal de lotes
    • Desatendimento a requisições feitas pela Câmara
    • Conivência com a sonegação fiscal  (não executa a dívida ativa)
     Cada um desses itens, por si só, é suficiente para que os vereadores cassem o prefeito. Desses, somente a parte relativa ao financiamento fraudado de veículos já foi apresentada à Câmara, o que tratarei em seguida. Portanto, Acir mente ao deixar entender que esse foi a única infração político-administrativa relatada por mim.
b) Sim, algumas das provas que agora apresento foram também apresentadas em 2008.  Entretanto, não há nenhum impedimento de que sejam novamente apresentadas agora. E por que haveria? Na época a Comissão Processante deu-lhes um fim inglório e triste. Tal como agora, tampouco naquela época elas não foram examinadas. Só que os vereadores de então não as mataram como os de hoje fizeram. Ao contrário, naquele ano (2008) aceitaram o pedido de formação de comissão processante, colocaram as provas na gaveta e e esperaram passar 90 dias para que não pudessem ser mais usadas. Foi o que aconteceu. Não houve absolvição, não houve condenação, não houve nada. Houve covardia. – A esse propósito convém inclusive registrar a proposta ABSURDA do vereador Ernani Xavier (também da base do prefeito) que chegou ao descalabro de dizer que a Câmara não tinha poder para julgar o prefeito! Foi isso nisso que acabou a denúncia de 2008! Lembrando que o vereador Ernani era um fiel seguidor do prefeito Haroldo Queiroz.

c) Sim, o Ministério Público também analisou as mesmas provas. Ao contrário do que o Ascone Acir Parreiras sugere, o Ministério Público entendeu que o prefeito e seus secretários são culpados. Por isso mesmo apresentou denúncia que resultou no processo nº 0074 09 049406-8 que tramita na Comarca de Bom Despacho. No momento aguarda sentença. Mas é claro que isso não impressiona o Ascone, que por várias vezes já negou a existência do processo. Numa entrevista à Rádio Difusora chegou mesmo a dizer que o MP aprovava o trambique! (CARA DE PAU, ESSE ASCONE!)

d) As provas concretas que Acir diz não haver abundam nos autos: cheques sem fundos, ordens de pagamento, depósitos bancários, plantas de obras, fotografias, boletins de medição, notas de empenho, correspondências com fornecedores, documentos de aceite. Mais concreto do que isso, só o concreto que desviaram na canalização da Avenida Dr. Roberto? A prova do cheque sem fundo é o cheque sem fundo. A prova do pagamento é a ordem bancária. A prova do preço pago é a nota fiscal. Esse Acir tem mesmo que ser muito burro e cara de pau para dizer que não há provas concretas!

OUTRA COISA QUE VC NÃO SABE É QUE DOS 217 QUILOS DE PAPEL APRESENTADOS PELO VEREADOR FERNANDO, 200 QUILOS FORAM FORNECIDOS PELA PRÓPRIA PREFEITURA. PENSE UM POUQUINHO, SE VC FOR CAPAZ: SERÁ QUE A PRÓPRIA PREFEITURA IRIA ENVIAR AO FERNANDO CABRAL 200    QUILOS DE PAPEL COM IRREGULARIDADES?
Acir, deixe de ser otário e desonesto. Claro que todos sabem que a maior parte dos documentos foram obtidos da prefeitura. Por isso mesmo são provas contundentes. Esses documentos provam que a prefeitura pagou, que o prefeitou encomendou, que a comissão de licitação fraudou, que o projeto não foi seguido, que houve jogo de planilha... Em qualquer investigação de desvio de dinheiro na administração pública tudo começa com o levantamento dos documentos oficiais. É assim que se prova a divergência entre o que o Administrador desonesto diz que fez e o que ele realmente fez. Por exemplo, é assim que provo que a prefeitura pagou para colocar concreto em todo o fundo do canal da Dr. Roberto, mas não colocou. Só aí foram pelo ralo mais de 600 metros cúbicos de concreto. Quer prova mais concreta do que isso? A largura da parede foi diminuída de 0,4 m para 0,2 m. Por ai vazaram mais 798 metros cúbicos de concreto.

Senhor Ascone, é concreto demais! Como você vem falar em falta de provas concretas?

As fraudes praticadas pelo prefeito sao provadas com documentos da prefeitura. De onde mais viriam? Da Lua e de Marte? São os documentos assinados pelo prefeito e pelos secretários que mostram o trambique. É por isso mesmo que essas provas são boas e valiosas. Se esse Acir fosse um pouquinho mais inteligente (talvez se entendesse melhor o que os advogados lhe tentam explicar) ele diria o contrário do que anda dizendo (ainda que mentindo): diria que os documentos não são oficiais, etc. Mas ele é tapado demais para isso. Nada entende de estratégia defensiva. Só entende de maldade.

CUIDADO PORQUE O SEU IRMÃO ESTÁ VENDENDO GATO POR LEBRE.
ACIR PARREIRAS

Os  meus irmãos – assim como todos os bom-despachenses bem-informados – sabem que Acir Parreiras é um mentiroso a soldo do prefeito. E eles sabem disso porque enquanto ele fala blá-blá-blá e coloca palavras no ouvido do prefeito, eu mostro os documentos para quem quiser ver. Qualquer cidadão pode me procurar e eu mostrarei um punhado de cheques sem fundo emitidos pelo prefeito. Mostrarei o projeto do Córrego das Palmeiras (mentirosamente chamado de "Machados") e mostrarei as fotos com as diferenças entre o que está no projeto e o que foi feito. Difenças, aliás, que qualquer um pode ver no local. Por exemplo, a falta de árvores, a falta de ladrilhos, a falta de passeio, a falta de concreto no fundo do canal, a espessura das paredes do canal...

Ascone Acir Parreiras, pare de mentir. Isso não lhe levará a lugar nenhum. Saiba que só não desmascaro você em todas as mentiras que você conta porque na maioria você mesmo tropeça. Quem lhe ouve já conclui de imediato que você está tentando enganar. Por isso não perco meu tempo.

Portanto – Ascone Acir – mude esse ramerrão cansado de que não há provas. Há provas. Elas são boas, fortes, lícitas, convincentes. E muito concretas (com trocadilho e tudo).  O que é mais importante: ao contrário das suas palavras que se perdem ao vento, as provas que levei à Câmara estão à disposição de quem quiser examiná-las. Por isso, a questão não é saber se Haroldo Queiroz será ou nao condenado. A questão que se discute é somente quando. Condenado ele será. 

PF prende 9 em Minas Gerais

Polícia Federal cumpre mandados apreensão e de prisão em 9 cidades mineiras e na ALMG

Em Belo Horizonte, documentos e computadores foram retirados do gabinete do 1º Secretário Dilzon Melo, do PTB.
13/04/2011 10h33
PRISCILA COLEN
Siga em: www.twiter.com/OTEMPOonline

Advogados, procuradores de municípios, agentes públicos e assessores parlamentares de prefeituras como Alfenas, Boa Esperança, Campanha, Campos Gerais, Coqueiral, Carmo do Paranaíba, Dores do Indaiá, Nepomuceno e Três Pontas foram presos na manhã desta quarta-feira (13) durante a operação Convite Certo, da Polícia Federal.

Em Belo Horizonte, o gabinete do 1º Secretário Dilzon Melo, do PTB, que fica na Assembleia Legislativa, teve documentos e computadores apreendidos pela operação, que realiza oito mandatos de prisão, dezenove mandatos de busca a apreensão e duas conduções coercitivas nas cidades mencionadas acima.

A operação visa reprimir uma organização criminosa focada na fraude em licitações para contratação de assessoria jurídica. A investigação surgiu como desdobramento da Operação Pasárgada. Durante a investigação, ficou claro para a PF que o grupo criminoso utilizava diversos interlocutores com o objetivo de fraudar os procedimentos licitatórios para se certificar da contratação de empresas que estavam vinculadas ao interesses desta organização criminosa.

A Operação apurou crimes de formação de quadrilha visando as fraudes licitatórias, além dos crimes de corrupção ativa e passiva, peculato e outros, como distribuição de propina, crime que, segundo informações da Polícia Federal, ocorreu.

Até o momento, foram apreendidos dinheiro em espécie em alguns locais de busca, além de farta documentação sobre o esquema criminoso. Os delegados Sarquis e Mário Veloso, da Polícia Federal, realizam entrevista coletiva às 15h para esclarecer para a imprensa detalhes sobre a investigação.

Histórico

A Procuradoria Regional Eleitoral em Minas Gerais (PRE/MG) representou contra o 1º Secretário Dilzon Melo no final do ano passado, por captação ilícita de sufrágio, o que é uma conduta ilegal.

Na prática, o que ele fez foi “utilizar a doação de brinquedos a crianças carentes do município de Boa Esperança como forma de propaganda eleitoral, angariando votos ilicitamente”.

Embora a distribuição de presentes tenha sido feita no Natal, acredita-se que a mesma tenha sido usada como argumento durante as últimas eleições legislativas.

Em outubro, a Justiça Eleitoral de Boa Esperança apreendeu um carro com alto-falantes que anunciava: “Qual é o deputado que sempre se lembra de nossas crianças, mesmo que seja com um simples brinquedo?”

Até novembro passado, o deputado corria o risco de ter o mandato e o registro cassados além de pagar uma multa no valor de R$ 1 mil a 50 mil.
Atualizada às 11h41

Torcedor cruzeirense leva o nome de Bom Despacho a estádio paraguaio

Alexandre Rodrigues, entusiasmado torcedor do Cruzeiro, foi ao Paraguai assistir ao jogo entre Cruzeiro e Guarani. Durante o jogo, manteve uma faixa com o nome de Bom Despacho. A imagem foi transmitida para o Brasil inteiro pelas TVs que cobriram a peleja.
Entre os 50 torecedores do cruzeiro que foram ao jogo, só havia dois do interior do estado: um de Divinópolis, e o Alexandre, de Bom Despacho.

PM apreende fuzil em Bom Despacho

Segundo divulgado pelo blog do vereador Experidião Porto, um fuzil foi apreendido em Bom Despacho. Veja os detalhes no vídeo.

STF confirma: prefeito é obrigado a fornecer documentos à Câmara

Prefeitos envolvidos em maracutaias geralmente não gostam de entregar documentos da prefeitura à Câmara. É mais uma forma de esconder os mal-feitos. O prefeito Haroldo Queiroz, há mais de um ano, vem se negando a fornecer documentos à Câmara. Isso, embora tenha dito na Rádio Difusora que enviou aos vereadores todos os documentos que eu pedi. Ele mentiu a esse respeito.

Mas, o prefeito Haroldo Queiroz não é o único prefeito a fazer isso. O prefeito de Caxumbu(MG) chegou ao STF pedindo que o Tribunal o eximisse da obrigação de entregar os documentos aos vereadores. Ouviu, porém, a resposta que não queria ouvir: o prefeito é obrigado a fornecer à Câmara todos os documentos requisitados.

Na sua decisão – exarada na ação cautelar 2.771/Minas Gerais - o Ministro Celso de Mello reafirma a posição do STF de que:

a) o Poder Legislativo tem, entre outros, o poder de requisição de informações, que legitima a solicitação de esclarecimentos dirigida ao próprio Poder Executivo.
b) que o Parlamento [...] recebeu, dos cidadãos, não só o poder de representação política e a competência para legislar, mas, também, o mandato para fiscalizar os órgãos e agentes do Poder Executivo;

Finalmente, o Ministro conclui que dentre as funções constitucionais inerentes ao Poder Legislativo, como órgão da soberania estatal e delegado da vontade popular, avulta, por sua significativa importância, a atribuição de fiscalizar os órgãos e agentes do Estado.

A lição serve para o prefeito de Bom Despacho que, embora tenha dito o contrário na Rádio Difusora, de há muito vem negando à Câmara e aos cidadãos acesso a documentos públicos.

Cel. Praxedes faz 100 anos e pede seu apoio para formar museu

 A Escola Municipal Cel. Praxedes está reunindo fotos, documentos, histórias e estórias sobre a vida da escola. Tudo irá para um museu virtual online que será colocado à disposição de todos pela Internet.

Se você tem fotos da escola ou qualquer documento relacionada a ela, então pode ajudar. Se foi aluno, professor ou funcionário da escola, então também pode ajudar. Você pode ajudar, também, visitando e divulgando o blog que foi criado para comemorar a data e servir de ponto de partida para o museu virtual.

Clique aqui para visitar o blog agora:

terça-feira, 12 de abril de 2011

Concurso literário: ainda dá tempo (são mais de R$ 5.000,00 em prêmios)

Ainda dá tempo para você escrever e inscrever o seu trabalho no I Concurso Literário. Mas não perca tempo: as inscrições se encerram no dia 30 de abril.

Reveja os temas:

- Crônica Política: "Câmara Municipal e os vereadores: para que servem?"
- Crônica Social: "Minha Cidade"
- Charge: Política e sociedade
- Literatura de Cordel: "O 'Santanás' do Bode Ladrão"
- Conto: Tema livre
- Poesia Tema livre
- Desenho infantil: Tema livre
- Tema especial: Crônica jornalística ou reportagem: "A reunião da Câmara de 28 de março de 2011"

Conheça os prêmios:
Notebook
Netbook
Tocadores de MP-3
Brinquedos
Livros
(Também ganharão prêmios as professoras de alunos premiados)

Regulamento e ficha de inscrição

Para ler o regulamento, clique aqui.
Para imprimir a ficha de inscrição clique aqui (JPG) ou aqui (PDF)

sábado, 9 de abril de 2011

Minimaratona do SESC: ainda dá tempo para se inscrever

Até o final da tarde de hoje (9/4) você poderá para a minimaratona do SESC que acontecerá amanhã, em Bom Despacho. Veja as regras abaixo. Inscrições no SESC-LACES.
INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 09 DE ABRIL, SOMENTE EM BOM DESPACHO
No dia 10 de abril, o SESC Minas, por meio do LACES Bom Despacho realiza a Minimaratona SESC/MG/LACES/BD. As inscrições devem ser feitas de 1º de março a 06 de abril, presencialmente, no comitê organizacional da prova, em Belo Horizonte (Rua Tupinambás, 956 - sala 808 - de 10 às 19h), no LACES Bom Despacho (Av. Maria da Conceição Del Duca, 150 bairro- Jaraguá - de 10 às 18h) e nas academias Boa Forma (Rua da Olaria, 11 - Centro - de 9 às 20h), em Bom Despacho e Naduarte, (Av. 21 de Abril, 2.450 - de 9 às 20h) em Divinópolis.  A taxa de inscrição custa R$10 para matriculados do SESC Minas e atletas com idade superior a 60 anos e R$15 para os demais competidores.
Com um percurso de 6.5km pelos principais corredores da cidade, o evento contempla as categoras Feminino, Masculino e Atleta Local e conta ainda com uma caminhada de 2.5 km (valor da inscrição - R$5), rua de lazer, shows e com o projeto Circuito Saúde, que levará orientações e exames para quem estiver presente. Os cinco primeiros colocados das categorias receberão prêmios em dinheiro, que variam de R$100 a R$500, além de medalhas e troféus.

Confira a programação
7h30: Concentração de atletas
7h30 às 08h30: Entrega dos chips
8h30: Aquecimento orientado
8h50: Largada da caminhada (2,5km)
9h25: Largada 6,5km - feminino
9h30: Largada 6,5km - masculino
10h45: Premiação e sorteio de brindes

A retirada do chip deverá ser feita somente no local da prova, no dia 10, das 7h30 às 8h30. Já a retirada do kit atleta deverá ser feita no dia 09 de abril, das 9 às 18h, no LACES Bom Despacho, para os atletas locais. 
InformaçõesSESC Belo Horizonte - (31) 3279-1447 (das 10 às 18h) e no LACES Bom Despacho (37) 3522-7253 (das 10 às 18h).
Clique aqui e veja o regulamento

Charge da semana: prefeito diz que tem R$ 300 mil e pode comprar o que quiser

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Veja como o concreto foi desviado do Córrego das Palmeiras ("Machados")

Na canalização do Córrego das Palmeiras ("Machados"), o prefeito Haroldo Queiroz, em conluio com a empreiteira, usou técnicas diversas para desviar dinheiro. Uma delas é revelada pelo exame do desenho abaixo (clique na imagem para ler melhor).
 Observe a parte inferior (o piso) do canal Ele é contínuo e tem quatro metros de largura por 40 centímetros de espessura. Se você for até o córrego, descobrirará que a construção está diferente. Lá há um vão no centro. Um espaço de mais ou menos 80 centímetros que não foi concretado. Ora, como a obra tem 1.900 m, isso significa uma economia de 608 metros cúbicos de concreto (0,80 x 0,40 x 1.900).

Além disso, as paredes laterais do canal estão previstas para terem 2,1 metros de altura por 40 centímetros de espessura. Entretanto, elas foram construídas com apenas 20 centímetros. Isso signfica uma economia de mais 1.596 metros cúbicos de concreto (0,20 x 2,10 x 1900 x 2).

Finalmente, a espessura do restante do piso foi reduzida de 40 cm para 20 cm. Isso representa mais 1.216 metros cúbicos economizados (3,2 x 0,2 x 1900

Portanto, só nos elementos acima mencionados a empreiteira deixou de lançar 3.420 metros cúbicos de concreto. Ao custo previsto de R$ 330,77 por metros, isso significa uma economia de R$ 1.131.233,40.

Pois bem.

Essa economia seria muito boa, se tivesse voltado para os cofres do Município. Invés disso, porém, foi para o bolso da empreiteira e do prefeito.

Outros desvios e curiosidades do corte
O desenho permite calcular outras "economias". Por exemplo, com o "afinamento" da camada do fundo, também as "abas" que ficam sob o barranco foram afinadas. Portanto, gastou-se menos concreto. Além disso, a espessura média prevista para o concreto magro (a parte entre as pedras e o concreto estrutural, no fundo) foi de 15 cm. Entretanto, a aplicação ficou em torno de 6 cm. Isso significa pouco mais de 1/3 do valor inferido pelo desenho.

Agora, interessante mesmo é conferir as dimensões: de guarda-corpo a guarda-corpo, o desenho indica 9 metros. Na realidade, são quase 13 metros.

Observe-se, também, que o guarda-corpo está previsto, mas não foi feito.

Assim, de "economia" em "economia", a obra foi ficando pior e mais dinheiro foi sobrando para a quadrilha. Nenhum dinheiro "economizado" voltou aos cofres públicos.

Rádio Cidade transmite Caldense x Atlético

A Rádio Cidade transmitirá a partida entre Caldense e Atlético, no estádio Ronaldo Junqueira, em Poços de Caldas. A transmissão começara às 15 h 30 min.

A Rádio Cidade transmite em 98,9 MHz e também pela Internet (http://www.radiocidadebd.com).

Posto do Ministério do Trabalho voltará a funcionar

A partir de hoje o posto do Ministério do Trabalho em Bom Despacho voltará a funcionar integralmente. Emitirá carteiras e homologará rescisões. É uma grande conquista dos empresários e trabalhadores de Bom Despacho. É o resultado de mais de um ano de luta da ACIBOM. Iiniciada sob o comando de Ronaldo Bié (Ronaldo Tavares Gontijo) e completada sob o comando de Jailton Antônio de Oliveira, o reinício das homologações significará grande economia de tempo e dinheiro para empresários e trabalhadores.

Clique aqui para ouvir a entrevista que Ronaldo tavares concedeu à Rádio Difusora a respeito do assunto

STF garante piso nacional para professores

Na ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) 4167, o STF reconheceu a Lei 11.738/2008 é válida na parte que regulamenta o piso nacional para os professores da educação básica da rede pública do país.

Isso tranquiliza os professores. Não apenas porque seus direitos ficam garantidos, mas também porque ficará mais fácil exigi-lo na justiça quando governadores e prefeitos descumprirem a lei.

Entretanto, há ainda uma questão pendente de julgamento. O §4. do artigo 2. da lei determina que o professor dedicará no máximo 2/3 do seu tempo em atividade de magistério. Os ministros estão divididos quanto à constitucionalidade desse ponto. Alguns entendem que a determinação fere a autonomia dos municípios e dos estados, enquanto outros entendem que não. Sem maioria contra ou a favor, o presidente do STF decidiu esperar o voto do mininstro Cezar Peluso, que está fora do Brasil, em viagem oficial.

É certo, porém, que o piso nacional está garantido. É um avanço. Ponto para os professores.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Polícia Federal recebe notícia crime contra Haroldo Queiroz

Na manhã de hoje protocolei na Delegacia da Polícia Federal de Divinópolis, notícia crime contra Haroldo Queiroz (Clique aqui ou na imagem abaixo para ver a o texto na íntegra, em PDF).
Clique na imagem abaixo para ler página a página.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Até que enfim, um bode habilidoso e inteligente

Haroldo Queiroz insiste em mentir sobre o Córrego das Palmeiras

O Córrego que passa pela Avenida Dr. Roberto Chama-se Córrego das Palmeiras. É assim que está registrado no IBGE, no IGAM (Instituto de Águas de Minas) e na prefeitura. Aliás, como mostra o trecho do mapa urbano abaixo reproduzido, contratado pelo próprio Haroldo Queiroz. É também o que consta dos nossos livros de geografia e história.

Entretanto, para facilitar o convênio com a CODEVASF, o prefeito passou a chamá-lo de Córrego dos "Machados". Na realidade, o Córrego dos Machados começa e termina lá perto do Espraiado (é afluente do São Francisco). Entre o Palmeiras e o Machados estão os córregos da Lajinha e da Gordura.

Ontem (5/4) o prefeito Haroldo Queiroz, em entrevista à Rádio Difusora, insistiu que não existe o Córrego das Palmeiras e que o córrego que passa pela Avenida é Corrego dos Machados. Portanto, insiste em falar do que não sabe.

Dos mapas reproduzidos abaixo, um é do IBGE e data de 1975. O outro é da prefeitura, e data de 1998 (piorado em 2006). Neles consta o nome do córrego. A propósito, esse córrego também já foi popularmente conhecido como Córrego do Quito, Córrego do Antenor, Córrego da Cerâmica, Córrego do Matadouro e Córrego da Ponte Criminosa.
(para ver melhor o mapa, clique na imagem).
Mapa encomendado por Haroldo Queiroz. Em azul o Córrego das Palmeiras (a parte mais forte é o canal - observe-se que aí há um erro, pois o canal vai até o Beco do Zeca do Couto)

Mapa do IBGE - Edição 1975 (folha SE-23-Y-D-VI)- Mostrando o Córrego das Palmeiras

A Câmara não aprovou auditoria em documentos

Em entrevista à Rádio Difusora, o vereador Gilmar Couto (Iru) disse que a Câmara não havia arquivado nada e que havia aprovado uma auditoria independente para examinar os documentos. A informação é errada. A Câmara não aprovou auditoria dos documentos. Nem havia como. Ao rejeitar a denúncia, ela foi arquivada. Junto com ela, também foram arquivadas as provas. Conforme diz o brocardo, "o acessório segue o principal". Como as provas são acessórios da denúncia, quando esta é arquivada, também são arquivadas aquelas.

A verdade
Conforme mostram os documentos abaixo reproduzidos, em dezembro de 2010 os vereadores Fernando Cabral, Ricardinho e Jeffinho pedimos que a Câmara realizasse uma perícia no Córrego dos Machados (Córrego das Palmeiras). Na ocasião a resolução não foi aprovada.

Agora, no dia 28, os vereadores aprovaram essa resolução. Observe-se, porém, que ela não trata de auditoria dos documentos (nem poderia). Ela autoriza a contratação de peritos engenheiros para periciar a canalização. Só isso.

Outra coisa, essa perícia, por si só, nada vale. Ela só faz sentido quando embutida numa CPI, ou numa CP (Comissão Processamente). Caso contrário, de nada valerá.

Em suma, não foi aprovada auditoria nos documentos. A perícia abaixo prevista deveria fazer parte da denúncia.

(clique na imagem para vê-la em tamanho maior)

Rádio Cidade transmite Atlético x Grêmio Prudente

Nesta 4ª feira a Rádio Cidade transmite a Atlético-MG x Grêmio Prudente, pela Copa do Brasil, a partir das 21h30, na Arena do Jacaré, Sete Lagoas-MG.

A Rádio Cidade pode ser sintonizada em 98,9 MHz ou ouvida pela Internet (http://www.radiocidadebd.com)

terça-feira, 5 de abril de 2011

OAB pede a cassação de vereadores omissos

Em Santa Luzia aconteceu situação semelhante à de Bom Despacho: por 9 votos a 1, os vereadores arquivaram denúncia apresentada contra o prefeito. A OAB entrou então com um pedido de cassação dos nove veradores. Segundo o advogado da OAB, os vereadores prevaricaram, ou seja, colocaram "o interesse pessoal ou de terceiros acima do que diz a lei". Veja abaixo as matérias publicadas no jornal O TEMPO (clique na imagem para vê-la em tamanho maior).


b56a63c5-6e12-4ad3-81ef-13956069e781