domingo, 12 de fevereiro de 2012

Poluição atinge forte o Córrego da Chácara

A espuma da poluição se forma na queda
O Córrego da Chácara está poluído, feio e fedorento. A poluição não decorre apenas do esgoto e do lixo que cai na cidade. A espuma branca indica também poluição química, como aquela que nos anos 70, envenenou o Rio Tietê em São Paulo.

Apesar de toda essa poluição, a água do rio ainda é usada para dessedentar animais domésticos. Isso significa grave risco para o consumidor, pois carne, leite e ovos, podem estar trazendo a poluição diretamente à mesa do consumidor bom-despachense.

Nos poços a espuma se acumula
O Córrego da Chácara nasce bem no centro da cidade, num local próximo à rodoviária e prefeitura. Depois desce pelo vale entre o Batalhão e o Miguelão, passa ao lado e por trás do Esplanada e segue rumo Norte, até desaguar no Córrego Raposo.

Com 7 km, divide os lotes das colônias David Campista e Fura-Olho (colônia dos alemães).

Antigamente - até a década de 70 - sua água era usada na irrigação da mais intensiva horticultura de Bom Despacho. A produção de hortaliças da Colônia supria mais de 80% da demanda de verduras da cidade. Além disso, a água tocava vários moinhos de água, onde se fazia fubá e canjica. Havia também uma usina de eletricidade. No lote da sede, havia uma bonita corredeira que atraia os bom-despachenses no final-de-semana.

A corredeira ainda existe, mas é fétida. A água está envenenada. Da luxuriante horticultura não há mais nem sinal. Os moinhos estão desativados. Um canal artificial de irrigação, que saia da pedreira da sede, e descia até alcançar quase todos os lotes, também não existe mais.

A própria sede, que resiste bravamento, apesar do abandono, já não tem mais a água corrente que antigamente chegava à sua porta.
Em pontos de retenção são formados grandes blocos de espuma
Essa água alimenta animais e plantas que vão para nossas mesas.

Um comentário:

Anônimo disse...

Bom Despacho é parecido com uma "roça", como diz o ditado popular, e já está com poluição de cidade grande. Deve-se investir agora para resolver essas questões enquanto a cidade está menor porque futuramente o negócio tende a se complicar. Futuramente, além do comprometimento ambiental de forma irreversível e da saúde dos cidadãos que tende a ficar prejudicada, isso pode se tornar um problema insolucionável. O povo que mora em Bom Despacho não conhece o chamado Crescimento Sustentável. Não bastam só as autoridades agirem, empresas devem colaborar e moradores também devem colaborar e exigir projetos que visem à solução destes problemas...

b56a63c5-6e12-4ad3-81ef-13956069e781