terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Fernando Cabral faz discurso de despedida da Câmara

Ao participar de sua última reunião ordinária da Câmara, Fernando Cabral fez o discurso abaixo transcrito. O pronunciamento está registrado no vídeo que segue: 

    Hoje me despeço do plenário dessa Casa.

    Não saio satisfeito.

    Saio com a certeza de que, em quatro anos, fizemos menos do que devíamos; fizemos menos do que podíamos; fizemos menos do que o povo queria.

    Quatro anos atrás, cheguei aqui guindado por 1.430 votos de eleitores que queriam mudança. Aqueles votos ecoavam minha proposta de trazer para a Câmara o compromisso de legislar para o bem da cidade e fiscalizar em defesa do erário.
    Nessas duas vertentes trabalhei com afinco.

    Na minha atribuição legislativa, propus a Política de Apoio ao Deficiente; estabeleci normas para o processo administrativo; defendi a saúde da população e dos animais; lutei pelo sossego do cidadão.

    Na minha atribuição fiscalizatória, trabalhei diuturnamente na defesa do erário e da moralidade administrativa.

    Foi muito, mas não foi suficiente.

    Nas leis, avançamos menos do que deveríamos e poderíamos. Na fiscalização não avançamos. Portanto, ficamos aquém daquilo que o povo desejava e pedia.

    E nisso, pouco me consola a certeza de fiz o que pude.

    Pouco me consola, porque – por exemplo – em quatro anos de legislatura, não fomos capazes de aprovar as leis que dariam eficácia ao princípio constitucional do uso social da propriedade e dariam concretude ao Estatuto da Cidade e ao Plano Diretor. Em outras palavras, não aprovamos o Código de Obra e a lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo.

    Essas duas lacunas ilustram como essa Casa pecou por omissão.

    Omissão pela qual Bom Despacho pagará por décadas e até por séculos. Pagará, por exemplo, com loteamentos impróprios. Pagará, por exemplo, com prédios inadequados à qualidade de vida que todo cidadão tem o direito de esperar.

    Também saio insatisfeito com a falta de transparência da Câmara.

    Passamos quatro anos devendo aos cidadãos uma página na Internet. Sem ela, os interessados não tiveram conhecimento da pauta das reuniões; não viram os trabalhos das comissões; não conheceram os nossos gastos.

    Também ficamos devendo a transmissão ao vivo de nossas reuniões, seja pelo rádio, seja pela Internet.

    Os servidores concursados permaneceram alienados, longe da atividade-fim da Câmara. Isso nos empobreceu tecnicamente e nos limitou a produtividade.

    Lastimo que tenha sido assim.

    Quanto à fiscalização, essa Casa falhou na sua responsabilidade de exercer o controle externo do Poder Executivo.

    Vimos o erário descer pelo ralo enquanto o atendimento médico à população caia a ponto de vermos o PA repetidamente fechado.

    Nada fizemos.

    Da mesma forma, vimos a dívida pública crescer em tenebrosas operações.

    Nada fizemos.

    Os índices que medem a qualidade de ensino estagnaram-se quando não caíram.

    Também aí nada fizemos.

    Também lastimo eu esta Casa tenha cuidado muito mais do mero assistencialismo ao eleitor do que cuidado do interesse dos interesses coletivos da comunidade.

    Tudo isso, Senhor Presidente, me deixa o ressaibo de que essa Casa não cumpriu suas funções constitucionais e não se desincumbiu de suas obrigações para com a população que nos elegeu.

    Algumas coisas, porém, me consolam.

    Consola-me, por exemplo, saber que as coisas mudam, embora não mudem com a velocidade e na extensão que desejamos. (Essa é uma lição que a vida e a idade nos ensinam).

    Os resultados da última eleição em Bom Despacho confirmam isso: nós estamos mudando. O eleitor está mudando. Está ficando mais informado e mais exigente.

    Essa sutil mudança e o sentimento do limite do possível, me fazem aceitar que essa Casa avançou o que podia avançar em quatro anos.

    Por tudo isso, ao me despedir desse Plenário, eu o faço com a combinação paradoxal de satisfação e insatisfação. Individualmente, olho para trás e vejo que cumpri o meu dever de legislar e fiscalizar. Quanto a isso, estou satisfeito. Mas essa satisfação do dever cumprido não me basta.

    Por isso – admito com tristeza – fomos derrotados em muitas das batalhas que travamos contra a corrupção, contra a má gestão e contra a ineficiência administrativa.

    Perdemos muitas escaramuças.

    Mas isso não me desacorçoa, porque sou movido pela paixão. Sou movido pela mesma paixão que movia Don Quixote; aquela paixão que nos leva a sonhar sonhos impossíveis; nos leva a lutar contra inimigos invencíveis; nos leva a buscar as estrelas inatingíveis.

    Hoje encerro minha participação nesse Plenário com a certeza de que lutei as lutas que tinha que lutar. Encerro, também, com a certeza de que, aqui, outros continuarão por mim, ainda que a seu modo e jeito.

    É com esses que aqui continuarão, e com aqueles que aqui chegarão, que conto para avançarmos em nossas lutas e nossos sonhos a partir de 1º de janeiro.

    A todos os servidores da Câmara, desde agora deixo meu muito obrigado.

    A todos os meus pares agradeço pelos quatro anos de convívio lhano e enriquecedor, ainda que permeado de divergências fundamentais em nossas visões de mundo e em nossas condutas.

    Muito obrigado.

4 comentários:

Anônimo disse...

Vc fez muito Fernando.
Assistindo sua brilhante batalha o povo votou de maneira QUASE correta e eliminou a corja que comunga com a corrupçao no Executivo.
Digo QUASE porque faltou aniquilar o PP,mas nao tenho duvida que o momento dele irá chegar!!
Vc demonstrou aos CAPACHOS da corrupçao que o errado cai, o errado sai, que o povo nao aceita mais ser ROUBADO por essa QUADRILHA DE MERDA que atua na Prefeitura de Bom Despacho.
Por fim.....
PARABENS FERNANDO CABRAL!!!!
ADEUS PREFEITO LADRAO E SEUS CAPACHOS ANALFABETOS!!!!!!!!

Anônimo disse...

CONCORDO PLENAMENTE,E ESPERO QUE VOCE POSSA FAZER O MESMO NA AREA DA EDUCAÇAO ELIMINANDO A CORJA DE DIRETORAS E VICE DIRETORAS QUE TAMBEM FAZEM PARTE DESSA QUADRILHA.

Anônimo disse...

Fernando,

Você fez um brilhante trabalho na Câmara ao desvelar os podres existentes na Prefeitura.

Esperamos que você também faça um excelente trabalho como Prefeito...

BOA SORTE E QUE DEUS O ILUMINE PARA QUE VOCÊ CONSIGA FAZER DE BOM DESPACHO UMA CIDADE JUSTA E HUMANA PARA TODOS OS CIDADÃOS QUE AQUI MOREM, VIVEREM COM DIGNIDADE...

Anônimo disse...

Idem aos comentários. A sociedade de B.D. espera também que possa voltar a Educação Religiosa com professores específicos que a eis secretária da educação juntamente com o eis prefeito tiraram e nimguém fez nada;temos várias professoras pós graduadas na área e que continuam compromissadas com suas capacitações.Algumas estão indo trabalhar em Nova Serrana depois que tiraram o direito dos alunos nas escolas municipais;se não fosse lei não teria nas escolas estaduais c professores específicos já que é custeado pelo eatado(FUNDEBE/FUNDEF)onde foi parar essa verba pois as professoras regentes já têm os seus salários?Do contrário não preisariam pagar caro pelo ``específico``além do desgaste físico,mental e risco de acidentes p correr atrás do nosso objetivo e vocação.Parabéns pela escolha da secretária da educação e que o Espírito Santo ilumine, dê sabedoria e muita saúde toda a equipe p q façãm um juto e brilhante trabalho já q é muito competente! Parabéns Fernando Cabral!

b56a63c5-6e12-4ad3-81ef-13956069e781