terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Prefeita pode ser cassada

Cidade da Região Central de Minas pode ter a 6ª troca de comando [Publicado no jornal Estado Minas de 3 de janeiro de 2011] (*)

Leonardo Augusto -
Publicação: 03/01/2012 07:22 Atualização: 03/01/2012 07:23
A prefeita de Conceição do Mato Dentro, Nelma Carvalho (PR), poderá ser cassada hoje pela Câmara de Vereadores da cidade, na Região Central de Minas, a 167 quilômetros de Belo Horizonte. A comissão processante da Casa, instalada em agosto, apurou supostas irregularidades da prefeita na aplicação de recursos da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e em licitação para compra de colchões para a Polícia Militar e seguranças da tradicional festa de Bom Jesus de Matosinhos, realizada anualmente em junho.
O relator da comissão, Claudio Zoião (PTC), aliado de Nelma, afirma não haver motivos suficientes para a cassação. “Houve falhas, mas no meu entendimento nada que possa conduzir a um afastamento.” Independentemente do teor do relatório de Zoião, a parlamentar Flávia Rojão (PMDB) – adversária de Nelma e colega de partido do vice, José César de Lima Guimarães, que assumirá o cargo em caso de cassação – diz que, dos nove vereadores, sete querem a cassação.

Flávia diz que, em relação à Funasa, a prefeitura usou de forma irregular R$ 78 mil de um convênio que previa elaboração de projetos de saneamento básico para distritos da cidade. Na licitação para compra de colchões, a parlamentar afirma que a licitação foi direcionada e que o município pagou valor superior ao praticado no mercado. O montante liberado teria sido de R$ 19 mil. A prefeita não foi encontrada para comentar a possibilidade de ser cassada. Na prefeitura, as informações são de que ela estaria em Brasília, onde tentaria cancelar a sessão de hoje.

Mudanças


Desde as eleições de 2008, Conceição do Mato Dentro teve cinco prefeitos. Breno Costa (DEM) ganhou a disputa há três anos, mas foi cassado por irregularidade. A então presidente da Câmara, a atual prefeita Nelma, assumiu o cargo. O filho do prefeito afastado, Breno Júnior (DEM), venceu as eleições extemporâneas realizadas em 2009, mas não assumiu, conforme a legislação eleitoral, pelo parentesco com o ex-prefeito. A atual prefeita, então presidente da Câmara, assumiu, mas, para participar de nova disputa, em fevereiro de 2011, deixou a presidência da Casa. Por consequência, saiu da prefeitura.
Ildeu Simões (DEM), vice-presidente da Casa, assumiu o comando do parlamento municipal e também do município. Com a troca da Mesa da Câmara, que ocorre de dois em dois anos, Antonio José da Silva Neto (PDT) venceu a disputa e acumulou os cargos até fevereiro com a vitória de Nelma.

(*) Leia a matéria original do Estado de Minas clicando aqui.

Um comentário:

FABIO disse...

QUERIA QUE A POLICIA FEDERAL INVESTIGACE A NELMA POIS COMPROU CASA CARRO E TEM DINHEIRO EM CASA E ERA MAIS DURA QUE EU QUE GANHO 4500 POR MES

b56a63c5-6e12-4ad3-81ef-13956069e781