quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

MPF e TCU encontram superfaturamento na duplicação da BR-262

Ministério Público Federal instaura Ação Civil Pública em Divinópolis para apurar irregularidades na duplicação da BR-262 (Clique aqui para ver original na página DIVerdade, da vereadora Heloisa Cerri, de Divinópolis)(*)

Relatório do Tribunal de Contas da União encontrou várias irregularidades, entre elas serviço de baixa qualidade



O Ministério Público Federal em Divinópolis acaba de transformar em Ação Civil Pública o Procedimento Administrativo que investiga provável superfaturamento de preços nas obras de duplicação da BR-262, no trecho entre Betim e Nova Serrana. A decisão foi adotada pela Procuradora da República em Divinópolis, Letícia Ribeiro Marquete, através das Portaria 31 e 32, e foi publicada na página 71, da edição desta quarta-feira (18) do Diário Oficial da União.

A Ação Civil foi motivada após relatório do TCU – Tribunal de Constas da União, que apontou irregularidades na obra, com provável superfaturamento de preços. A duplicação do trecho da BR-262 foi feita através de um consórcio liderado pela Torc Terraplenagem . De acordo com Letícia Marquete, a auditoria realizada pelos técnicos do TCU constatou “superfaturamento decorrente de preços excessivos na aquisição de emulsão asfáltica, bem como a execução de serviços com qualidade deficiente”.

As irregularidades foram encontradas no subtrecho entre Pará de Minas e o trevo de Igaratinga, num total de 26 quilômetros. Esse trecho ficou sob responsabilidade da Egesa Engenharia, empresa integrante do consórcio responsável pela duplicação da rodovia.




CLIQUE AQUI e veja as portarias publicadas pelo Diário Oficial da União







A duplicação da BR-262 é um investimento de R$ 400 milhões, provenientes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Além da duplicação, foram construídas 30 obras de artes especiais, entre pontes, viadutos, passagens inferiores e passarelas. Cerca de 65% da frota que passa pela 262, entre Betim e Nova Serrana, é composta por caminhões e carretas.

A duplicação do trecho total da BR-262 na região central do Estado ocorreu em 85 quilômetros da rodovia. Ente os municípios beneficiados pela duplicação estão Nova Serrana, Pará de Minas, Beti, Florestal, Juatuba e Igaratinga.

(*) Notícia republicada da página DIVerdade, da vereadora Heloisa Cerri, de Divinópolis (clique aqui para ver)

Nenhum comentário:

b56a63c5-6e12-4ad3-81ef-13956069e781