terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Dengue se instalou em Bom Despacho

Dengue hemorrágica (essa imagem chocante
nos lembra o que a dengue pode fazer –
além de matar)
A situação é de pavor. De 4.252 imóveis examinados em Bom Despacho ao longo da semana, 468 (11%) abrigavam ovos e larvas do mosquito da dengue. O pior caso já registrado antes (2009) era de 7,4%. Com o aumento das chuvas, a tendência é piorar.

Na tentativa de controlar a situação e evitar o pior, ontem (9/1), 36 agentes do GRS (Gerência Regional de Saúde, da Secretária da Saúde do Estado) aplicaram fumaça inseticida (fumacê) em diversos bairros da cidade.

Dengue hemorrágica
Se os focos não forem controlados imediatamente – e se forem mantidas as estatísticas anteriores –  até março é provável que mais de 4.000 pessoas peguem a doença. Dessas, 4 ou 5 poderão morrer.

A situação é alarmante. Ou a prefeitura e a população agem rápida e eficazmente, ou mais uma vez perderemos a batalha (e algumas vidas) para um vírus e um mosquito.
(Para ler a matéria da jornalista Simone Lima publicada no Estado de Minas de hoje (10/1/2012), clique na mensagem abaixo abaixo)

BOM DESPACHO » Dengue ameaça cidade

Simone Lima
Publicação: 10/01/2012 04:00

Agente aplica fumacê em Bom Despacho: alto índice de infestação (Nando Oliveira Esp. EM)
Agente aplica fumacê em Bom Despacho: alto índice de infestação

O ano começou com uma notícia alarmante para população e para Secretaria Municipal de Saúde de Bom Despacho, no Centro-Oeste de Minas. O Levantamento do Índice Rápido Aedes aegypti (Liraa) feito pelo município em parceria com agentes da Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis (GRS) revelou um dado preocupante: o índice de infestação da dengue na cidade está em 11,4%, enquanto o permitido pelo Ministério da Saúde é de 1%. O tempo chuvoso só piora a situação, tornando mais fácil o acúmulo de água em materiais como caçambas, baldes ou garrafas, intensificando a proliferação do mosquito.

Ontem, 36 funcionários da GRS percorreram a cidade com o fumacê, priorizando as áreas mais vulneráveis, como lotes vagos, construções e casas abandonadas. O objetivo é evitar um novo surto em Bom Despacho, como o que aconteceu entre 2009 e 2010, quando o número de pessoas infectadas chegou a 3.649 e três óbitos foram registrados. Em 2011,  foram feitas 204 notificações e este ano apenas uma pessoa foi infectada.

 “Em 2009, o Liraa na cidade ficou em torno de 7,4%. Esse resultado, de mais de 11%, nos deixou muito assustados. Queremos evitar a epidemia e por isso iniciamos esse trabalho”, explica. O estudo analisou 20% dos 21.260 imóveis da cidade. Desse número, mais de 11% apresentavam focos da dengue. Lopes informa que a maior preocupação é que o tipo 4 da doença chegue ao município. “Já tivemos até dengue do tipo 3 na cidade. Não queremos que a doença se espalhe e que esse novo tipo da doença atinja a população”, acrescenta.

CONSCIENTIZAÇÃO A força-tarefa da GRS continuará na cidade até o dia 13. O objetivo é visitar 100% dos imóveis e, principalmente, conscientizar a população. De acordo com o coordenador do trabalho da GRS em Bom Despacho, Geraldo Silvano, o índice levantado é considerado de alto risco. “Até 3,9%, o município está em risco. Acima de 4%, esse risco já é considerado alto. O importante é a população ajudar, pois sem esse apoio nós não conseguiremos evitar o surto”, diz.

Se depender da professora Teresinha Couto Rodrigues, de 53 anos, o possível surto de dengue vai ficar bem longe de Bom Despacho. Ela ainda lembra bem de quando teve a doença, em 2010, e não quer passar pela mesma situação. “Tenho muitas plantas em casa, mas coloco areia nos pratinhos e não deixo água parada. A minha parte eu faço”, garante.

Na casa do motorista Geraldo do Couto Oliveira, de 46 anos, apenas a filha caçula ainda não teve a doença. Ele, a esposa e a filha mais velha ficaram mais de uma semana em casa, de repouso, depois de terem sido picados pelo mosquito, no início de 2010. “Todo mundo tem que ajudar. Quem já teve a doença sabe como é: dor de cabeça, dor no corpo... Você mal consegue levantar da cama. Por isso evito mesmo deixar água parada”, ressalta.

Minas tem Queda no índice

Em 2011, foram registrados 64.480 casos de dengue em Minas Gerais. Assim como aconteceu em Bom Despacho, o número de pacientes com doença caiu consideravelmente: em 2010 foram 183.607 pessoas infectadas. No ano passado foram registradas 23 mortes por complicações da dengue, enquanto no ano anterior, foram registrados 106 óbitos. Os casos de morte por dengue hemorrágica, também tiveram uma queda de 179 em 2010 para 47 em 2011.

6 comentários:

Jacksandro Ricardo disse...

sei que a população deve fazer sua parte, mas moro na Av. geralda Lopes desde de 2009 e até hoje recebemos apenas duas vezes a visita dos referidos agentes. Outro fato marcante é que a pefeitura não cuida das vias...deixando o mato crescer e tomar conta de tudo e se quisermos que fique limpo temos que pagar alguém pra faze-lo. Como trabalhamos o dia todo (ao contrario da administração municipal) fica dificil conter tais avanços da epidemia.

Clenio Araujo disse...

Jack

Tenho (muito) mais sorte que vc. Moro há um ano e dois meses numa casa que já recebeu a visita do pessoal do controle da dengue sete vezes. Acho que eles fazem um trabalho muito bom.

Laurene disse...

Pois é, Clênio.
O fato se deve por morarmos perto da prefeitura. Isso é pra "mostrar" serviço para a administração, deixando a desejar os outros bairros.

Anônimo disse...

Infelizmente com a falta de preparo que tem os agentes de saude e de seus administradores,Bom Despacho vai sofrer com a dengue este ano. É praticamente facil combater essa doença de verão.

- Deixar de jogar lixo na rua.
- Colocar areia nos vasinhos de plantas.
- Fechar as caixas d'agua( se estiver aberta colocar 2 colheres de agua sanitaria).
- Terrenos vazios( denunciar a administração).
- Ralos e calhas sempre deixar limpas para nao acumular agua.
- Garrafa pet, pneus, latoes, latas e plasticos pretos e brancos sempre colocar em lugares cobertos.

A população tem que fazer sua parte e os agente tem que explicar melhor o que pode ser feito para melhorar o ambiente.

Cristina Machado disse...

Nos anos anteriores o controle estava mais rigoroso, os agentes passavam mais vezes e vinham até com o fumacê,mas agora está muito ruim, os agentes quase não passam em nossas casas e também tem muita gente ignorante, que não aceita que os agentes da dengue e nem os agentes dos PSFs entrem em suas casas. Povo ignorante, viu. No meu bairro tem gente assim, o pior é que quem paga são os inocentes, na minha casa não tem nenhum foto, eu garanto, peguei dengue há dois anos e mas morro de medo da minha filhinha de 8 meses e meu marido que se recupera de um AVC pegarem dengue. O que me resta é rezar, a prefeitura precisa fazer a sua parte e a população principalmente.

Anônimo disse...

As pessoas que nao deixam os agentes entrar em sua casa,sao os proprios que pegam dengue e as demais pessoas que sao vizinhos desses irresponsaveis. O problema do fumaçe que ele nao só mata os mosquistos,e sim os restantes dos animais da flora,era para ser usado em ultima cartada do baralho(usado para diminuir a infestação e para da tempo para controlar a dengue).Os moradores tem certa culpa por nao ter escolaridade,nao ter nenhum conhecimento da doença e por fim ter o prefeito que nao liga para sua população quando mais precisa.

b56a63c5-6e12-4ad3-81ef-13956069e781