domingo, 30 de setembro de 2012

Programa Brasil Alfabetizado

Segundo o IBGE, Bom Despacho tem mais de 2.000 analfabetos com mais de 15 anos. Considerando o número de analfabetos funcionais, esse número sobe para cerca de 15.000 pessoas.  O programa Brasil Alfabetizado destina-se a colocar essas pessoas de volta na escola.

O sistema foi implantado em Bom Despacho, mas foi de tal forma mal administrado, que os resultados são pífios.

Entretanto, é um excelente programa, pois destina-se a alfabetizar ou completar a alfabetização de jovens e adultos. Além disso, é fonte de renda, pois os alunos que frequentam as aulas recebem bolsas. No nosso governo, essa será outra alternativa de receita para o Município e também outra vis a de resgate social.

Veja  abaixo um pouco mais sobre o programa.
Brasil Alfabetizado
O Ministério da Educação (MEC) desenvolve, desde 2003, o Programa Brasil Alfabetizado (PBA), voltado à alfabetização de jovens, adultos e idosos e à formação de alfabetizadores, com o objetivo principal de universalizar o acesso à educação.

Agora, o programa atua também integrado ao Brasil Sem Miséria, levando apoio técnico para estabelecer e garantir continuidade nos estudos, sempre com foco na educação como maneira de combater as desigualdades socioeconômicas.

O PBA é parte integrante da política de Educação de Jovens e Adultos (EJA), sendo considerado a porta de entrada para o ensino fundamental de jovens, adultos e idosos. É desenvolvido em todo o território nacional, por meio da transferência de recursos financeiros, em caráter suplementar, aos entes federados que aderem ao Programa e por meio do pagamento de bolsas-benefício a voluntários que atuam como professores de alfabetização, coordenadores de turmas e tradutores-intérpretes de libras (língua brasileira de sinais).

Atualmente, Brasil Alfabetizado está presente em 1.928 municípios. Desde 2003, o programa já alfabetizou 12 milhões de pessoas.

Para o fortalecimento as ações do Programa Brasil Alfabetizado, os alunos contam com o Programa Nacional do Livro Didático de Educação de Jovens e Adultos (PNLD-EJA).

Por meio da adesão a este programa, a instituição parceira recebe livros para serem utilizados nas turmas de alfabetização.

Há ainda a Coleção Literatura Para Todos, que é uma estratégia que procura democratizar o acesso à leitura para jovens, adultos e idosos recém alfabetizados, chamados de neoleitores.

Nenhum comentário:

b56a63c5-6e12-4ad3-81ef-13956069e781